Rui Vitória acredita que, em termos pontuais, o FC Porto é um líder justo. No entanto, o técnico encarnado acredita que o campeonato ainda nem chegou a um terço e não se devem fazer análises prematuras.

"Quem está na frente tem sido o melhor nas primeiras dez jornadas. Em termos pontuais, é um facto. Já transmiti isso, é preciso ter alguma atenção às análises parcelares. Ainda não chegamos a um terço do campeonato. Estamos a viver numa análise estratosférica e catastrófica, parece que às vezes virámos as páginas dos jornais de 15 em 15 dias e as opiniões viram. Não digo que seja o caso, quem vai à frente está a somar pontos e está na frente. No final cá estaremos para fazer o balanço. Já vimos histórias de clubes que estiveram na frente e perderam, que estavam atrás e ganharam. Não me refiro só à minha equipa. Isto é uma maratona, é um combate de boxe e no final cá se vê quem ganha", referiu o técnico, em declarações citadas pelo jornal O Jogo.

Quando questionado sobre a derrota em Manchester, o treinador 'encarnado' afirma que as 'águias' foram infelizes e até podiam ter ganho a partida.

"Olha-se muito para o resultado. Quando cheguei aqui [ao Benfica] o problema era não marcar fora de casa. A vida das equipas é assim. Há que analisar o processo das próprias equipas. Aquilo a que assistimos no jogo de Manchester foi um processo muito positivo. Uma equipa que, por uma certa infelicidade não fez golos e não ganhou. Nem sempre tudo está bem quando se ganha, nem sempre tudo está mal quando se perde. Não estou nada preocupado. Nessa altura, quando cheguei, de repente começou-se a marcar fora, a ganhar fora... Não vou muito por esse tipo de dados", disse.

O Benfica desloca-se ao terreno do Vitória de Guimarães este domingo, às 18 horas, em jogo a contar para a 11ª jornada do campeonato nacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.