Hulk foi um dos protagonistas da vitória do FC Porto sobre o Paços de Ferreira, por 3-0, mas desta feita pelo lado mais negativo.

O brasileiro foi substituído na segunda parte, deixando o campo sob um coro de assobios e diretamente para os balneários, sem passar no banco de suplentes. 

«No momento em que sai estava muito chateado comigo próprio e resolvi ir diretamente para os balneários, para ficar sozinho e poder refletir. É lógico que deveria ter passado pelo banco, mas já pedi desculpas», afirmou o internacional brasileiro, acrescentando: «Ninguém é perfeito e nem todos os jogos saem bem, mas o mais importante é que saiu bem ao coletivo e somámos mais três pontos. O resultado foi muito bem e permite-nos continuar na liderança»

Questionado sobre a opção de Vítor Pereira, Hulk defendeu a sua substituição: «O mister viu que eu não estava bem e tirou-me. Tenho que respeitar as suas decisões. Jamais faltei ao respeito a qualquer elemento da equipa.»

«Os assobios? Não foi a primeira vez e não será a última, comigo e com outros companheiros. Procuramos não nos focar nisso, mas no nosso trabalho», comentou ainda Hulk sobre a insatisfação mostrada pelos adeptos, frisando o seu habitual alto rendimento: «As pessoas estão habituadas que o Hulk decidia, mas, infelizmente, hoje as coisas não saíram bem em termos individuais.»

Por fim, o avançado portista analisou o desafio com o APOEL, onde o FC Porto joga uma cartada decisiva para seguir para os oitavos de final da Champions. «O jogo de terça-feira (no reduto do APOEL, para a Liga dos Campeões) é para ganhar».

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.