Miguel Salema Garção, ex-director do futebol do Sporting, defendeu hoje «um corte com o passado» e um novo elenco directivo a sair das eleições de 26 de Março de «sportinguistas que não tenham passado pelo clube».

«Neste momento não apoio ninguém, até porque é necessário conhecer os candidatos e os projectos primeiro. Defendo, isso sim, um corte com o passado», advogou o antigo director do futebol do Sporting, em nota de esclarecimento enviada à Agência Lusa.

Para Salema Garção, «o clube só terá ganhar se um conjunto de sportinguistas, incluindo uma geração nova, assumir os seus destinos com sportinguistas que não tenham passado pelo clube e suas estruturas, mas que reúnam competências, conhecimentos e dinâmica para ajudar o Sporting a ser ainda maior».

Apesar de assegurar que está «afastado do cenário eleitoral» e que neste momento não apoia ninguém, Salema Garção considerou que João Rocha Jr. «reúne as condições para ser Presidente» e que Rogério Alves «conhece bem a realidade interna e externa do clube e é uma pessoa com capacidade aglutinadora».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.