Um golo de Salvio apontado nos descontos garantiu a vitória do Benfica na Amoreira frente ao Estoril e evitou o 'KO técnico' na luta pelo título (2-1).

Perdida a liderança no clássico, a curiosidade era perceber qual seria a reação do Benfica na partida frente a um Estoril que precisava de pontos para sair do último lugar da tabela.

Mesmo tendo em conta o desaire na Luz frente ao FC Porto, Rui Vitória decidiu-se por manter o mesmo onze que defrontou os azuis e brancos. Perante a indisponibilidade de Jonas, Jiménez voltou a ser opção para a frente de ataque. No Estoril, Duarte foi aposta para o meio campo, com Allano e Ewandro como os homens mais adiantados.

Numa partida em que o Benfica teve muitas ocasiões, mas faltou eficácia. Voltou a sentir-se a falta de Jonas, como o homem que melhor define no ataque encarnado.

Ferido no orgulho, o Benfica entrou afirmativo e decidido a fazer esquecer o último tropeção. O início foi promissor, com a dupla Zivkovic e Rafa a fazer estragos logo aos 10 minutos.

Passe do sérvio e com o dianteiro português a inaugurar com classe o marcador. Estava feito o que parecia aparentemente o mais difícil: Chegar ao golo cedo, fazendo esquecer os fantasmas que resultaram da perda da liderança.

Mas a partir da meia hora, o Estoril quis demonstrar que também queria assumir o jogo. Allano, apareceu nesse momento, como homem mais perigoso do conjunto da Amoreira. O dianteiro começou por criar perigo com um remate cruzado que passou muito perto do poste.

Até final da primeira parte, o Benfica dispôs de oportunidades para dilatar o marcador, mas falhou na concretização. Quando não havia pontaria de Jiménez e companhia, estava lá Renan a evitar males maiores.

A cinco minutos do intervalo, Allano voltou a criar muito perigo. Depois de romper pela esquerda, em excelente posição, atirou fraco para a defesa de Varela.

Com o Benfica sem margem de erro e com o Estoril a necessitar rapidamente de pontos, foram os da casa que começaram mais afoitos no segundo tempo e à procura do empate. Renan marcou ao minuto (52), mas o lance acabou por ser anulado.

A séria ameaça acabou por ser se concretizar apenas alguns minutos depois. Halliche restabeleceu a igualdade. Depois de um livre batido por Eduardo, Halliche fugiu a André Almeida e atirou para a baliza, com Varela ainda tocar na bola.

Alguns minutos minutos depois, foi a equipa da linha que poderia ter chegado à vantagem, depois de atirar uma bola ao poste por intermédio de Lucas.

O Benfica foi então à procura do prejuízo e sabendo de antemão que a perda de pontos poderia resultar no atirar da toalha ao chão na luta pelo título. Em sete minutos, os encarnados criaram duas ocasiões soberanas que fizeram os adeptos suspirar por Jonas: Primeiro Rafa, lançado por Zivkovic e perante Renan não conseguiu fazer o golo.

Sete minutos volvidos, o guardião do Estoril voltou a brilhar a grande altura. Jiménez recebeu a bola, conseguiu virar-se sobre Dankler e rematou, Renan defendeu para a frente e Rafa com tudo, acabou por falhar um golo certo, depois de corte de Fernando.

O Benfica tentou esticar ainda mais o seu jogo, com as entradas de Salvio e Seferovic, mas foi o argentino que acabou por resolver a equação. Ao minuto 92, Salvio de cabeça fez o golo do triunfo, depois de um cruzamento de Grimaldo.

Em cima da hora, os encarnados alcançaram o três pontos e mantêm acesa a chama do penta campeonato, saltando provisoriamente para a liderança.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.