O treinador do Boavista sustentou hoje que a equipa tem de "trabalhar muito mais" do que o Sporting de Braga para vencer o jogo da 20.ª jornada da I Liga do futebol, no domingo, e "sair de cara lavada".

Erwin Sánchez anteviu hoje a receção aos bracarenses e elogiou o adversário, dizendo tratar-se de "uma boa equipa que está a atravessar um bom momento e está em diferentes em competições e muito bem".

"Temos de ser ainda mais fortes do que aquilo que temos demonstrado em alguns jogos e tentar contrariar todo o poderio que o Braga tem neste momento, sempre dentro da ideia que temos como equipa", afirmou.

O técnico boavisteiro disse que a sua equipa terá de "trabalhar muito mais" do que o Braga "para ter o resultado ambicionado e sair contente e de cara lavada deste jogo".

Depois de duas vitórias consecutivas (4-0 frente ao Setúbal, em casa, e 2-1 face ao Tondela, fora), um novo triunfo pode tirar o Boavista da zona de despromoção.

Questionado sobre se esse cenário é uma motivação adicional, Sánchez respondeu que "não há melhor motivação do que os três pontos".

"Temos de ir passo a passo e não pensar no jogo seguinte, sem antes enfrentarmos esta boa equipa. Para sair desta situação incómoda, temos que ser ainda mais fortes e mais firmes nas coisas que estamos a fazer e a equipa em si trabalhar ainda mais. Queremos acabar com 11 jogadores, fazer mais golos e sofrer menos", considerou.

O Boavista acabou o encontro com o Tondela, na jornada anterior, reduzido a dez unidades, porque Reuben Gabriel foi expulso, o que levou a Sánchez a realçar que os seus jogadores terão de ser "mais cautelosos em alguns lances, porque se calhar estão mais sujeitos a levar cartões".

"Mas isso também não nos pode impedir de disputar os lances como tem de ser, se não deixaríamos de ser uma equipa de homens e estaríamos noutro desporto", opinou.

Sánchez quer uma "equipa forte, coesa e que enfrente todos os jogos da mesma maneira" e acrescentou que, "neste momento, o Braga tem padrões automatizados muito melhores" do que os do Boavista, "porque tem mais tempo de trabalho".

"Não podemos negar que o Braga está alguns degraus acima de nós e temos que ter suficiente capacidade e humildade para reconhecer isso e é isso que vamos tentar contrariar dentro do campo e no final se verá", completou.

O Boavista reforçou-se este mês com Ruben Ribeiro, Iriberri, Mario Martinez, Aymen Tahar e Cristian Cangá, mas, por enquanto, apenas os primeiros foram titulares. Tengarrinha, Henrique, Correia e Fábio Ervões continuam lesionados.

Sánchez manifestou "um apreço especial" por Fábio Ervões, lesionado há vários meses. "Gostaria de o ter. Tem sido muito importante nestes dias para nós. Tem sido um braço mais dentro do balneário, um jogador extra, um trabalhador excecional dentro do balneário", elogiou.

O treinador adiantou ainda que Hackman, um defesa central que esta época já foi utilizado como lateral direito e esquerdo, deverá ser o substituto do médio Gabriel, castigado.

"Hackman tem sido um bom 'joker'. Vamos ver como podemos travar a parte ofensiva do Braga", afirmou.

O Boavista, 17.º classificado, com 16 pontos, recebe domingo, às 17:00, o Sporting de Braga, quarto, com 35, num jogo que será arbitrado por Manuel Mota, da associação de Braga.

AYM // PA

Lusa/fim

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.