O Santa Clara, da I Liga de futebol, criou uma comissão para a alterar o símbolo do clube, uma alteração “fundamental” para a equipa açoriana ter uma “marca própria” e se “emancipar” de emblemas semelhantes.

“Foi eleita uma comissão para alteração do símbolo, que é um aspeto fundamental, no sentido de virar o Santa Clara para o futuro, um Santa Clara cada vez mais com uma marca própria, uma identidade própria e a representar cada vez mais e melhor os Açores”, declarou o presidente da equipa açoriana, Rui Cordeiro.

O dirigente falava à RTP/Açores após a Assembleia Geral do clube, que decorreu durante a tarde e noite de sábado, ao longo de sete horas, em Ponta Delgada.

A decisão de criar uma comissão para o “estudo da alteração” do símbolo do Santa Clara foi aprovada por maioria pelos cerca de 50 sócios presentes na assembleia.

Rui Cordeiro frisou que a alteração do emblema pretende vincar a “identidade açoriana” da equipa e “aproximar o Santa Clara dos açorianos das nove ilhas e da diáspora”.

“Nós temos claramente de nos emancipar de outros símbolos que são muito parecidos com os do Santa Clara. Queremos um clube representativo dos Açores, queremos um clube virado para o futuro”, afirmou.

A comissão será composta pelo diretor de comunicação do clube, Emanuel Melo, pelo presidente do conselho fiscal, Mário Félix, pelo vice-presidente da assembleia geral, Hernâni Bettencourt, e por Miguel Duarte, do departamento jurídico do clube.

A comissão terá entre 90 a 120 dias para apresentar propostas de emblema que depois serão votadas pelos sócios em Assembleia Geral.

Na assembleia geral de sábado foi ainda aprovado o orçamento para 2020/21 e o relatório e contas da temporada 2019/20, que apresentou um resultado positivo de cerca de 28 mil euros.

Durante a assembleia, foi detalhado que a dívida do clube à SAD foi reduzida em cerca de um milhão de euros durante a última temporada, estando atualmente em 6,4 milhões.

Rui Cordeiro assinalou ainda que “dentro de cinco anos” o clube deixará ter dívidas à SAD (que detém em 40%).

“A nossa perspetiva passa claramente pela consolidação financeira e ser um exemplo único no futebol português ao deixar o clube sem dívidas”, declarou Cordeiro.

Depois de duas épocas sob o comando técnico de João Henriques na I Liga, o Santa Clara irá ser orientado em 2020/21 pelo treinador Daniel Ramos, naquela que é a terceira presença consecutiva no principal escalão do futebol nacional, um feito inédito na história do clube.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.