Em entrevista ao jornal A Bola, o selecionador da Grécia, John Van't Schip, falou sobre Samaris, explicando o porquê de não ter convocado o médio do Benfica.

"Liguei-lhe depois do jogo em que deixámos de ter oportunidade de nos qualificarmos para o Campeonato da Europa. Disse-lhe que iríamos observar outros jogadores. E ele, nessa altura, também não estava a ser muito utilizado no Benfica. Nos últimos jogos antes da crise provocada pelo Covid-19, sei que voltou a jogar. Aproveitámos para avaliar outros jogadores. Conhecemos bem Samaris, tem boa qualidade de passe, capacidade de fazer bons passes em diagonais e para as costas dos defesas. Estamos a observar novos jogadores, mas não estou a dizer com isto que não voltarei a chamá-lo", começou por dizer.

"Na forma como jogamos, seria um dos dois números 6. É bom, também, na receção da bola dos defesas para iniciar a construção defensiva. E, em fase ofensiva, em mudar o centro do jogo com passes de 40 metros", analisou o técnico.

O selecionador helénico deixou ainda elogios a outro jogador do Benfica. "Vlachodimos esteve bem nos últimos dois jogos. É um profissional ao mais alto nível e ainda pode crescer muito. É um dos nossos guarda-redes, contamos com ele. Os guarda-redes melhoram com a idade e Vlachodimos tem muito tempo pela frente", vaticinou.

"É um guarda-redes calmo, não entra facilmente em pânico. Isso dá confiança aos defesas, atrás deles sabem que têm alguém em quem podem confiar. Isso é muito importante para a equipa. Por outro lado, também comunica bem com os companheiros. Dá-lhes boas indicações nos momentos certos. Também constatámos que melhorou nas bolas altas, nos cantos, é especialmente importante mostrar quem manda nesses lances quando não há defesas muito altos", elogiou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.