Sérgio Conceição analisou a vitória do FC Porto sobre o Portimonense por 5-2, em declarações ao Porto Canal. De recordar que o técnico recusou falar do encontro, tanto na zona mista como na conferência de imprensa, por entender que os jornalistas tinham deturpado as suas palavras na quinta-feira, a respeito de uma possível crise do Benfica.

Análise ao jogo: "Entrámos muito bem no jogo, a primeira meia hora foi a melhor que fizemos desde o início do campeonato, com muita mobilidade, de dinâmica interessante. Sabíamos que o Portimonense tinha dificuldades em defender cruzamentos e colocámos esses cruzamentos. Depois há um golo fantástico que espelha os princípios da equipa. Não quero que baixe a agressividade porque sofremos com isso".

Mudanças no onze: "No intervalo retifiquei uma ou outra situação. Achei que o Danilo devia fazer um jogo mais posicional. Entrámos muito bem, entendemos o que tínhamos de fazer".

Segundo golo do Portimonense: "Pena é a bola parada em que sofremos o segundo golo. Jogámos contra uma equipa com qualidade individual e coletiva, que hoje não se viu muito por culpa do FC Porto".

Importância do triunfo: "Ganhar é sempre importante, no nosso dia a dia temos bem presente essa palavra. Somos exigentes, trabalhamos de forma muito séria, muito honesta, preparamos a equipa e aquilo que são os pormenores do jogo. É sempre melhor trabalhar sobre vitórias. Vamos dar uma resposta muito positiva no Mónaco. Vamos fazer um bom jogo, queremos pontos e vamos prepará-lo dessa mesma maneira, para dar uma imagem do que é o FC Porto, que não foi no jogo com o Besiktas".

Estreia de Diego Reyes: "Não gosto de dizer que é uma mensagem. São profissionais, têm que estar prontos para jogar, ficar no banco e ficar em casa. Tenho um grupo fantástico a nível humano, o melhor que apanhei. Pensamos que as equipas grandes têm jogadores de caráter difícil, mas no FC Porto temos um grupo fantástico. Hoje jogaram 11, os que escolhi. O Reyes entrou porque sei o que ele pode dar. Não preciso de ser simpático com ninguém, sou profissional. Há respeito entre jogadores e equipa técnica".

Dupla Marega-Aboubakar: "Eu gosto que os avançados façam golos. Vivem de golos, como se costuma dizer. Mas estou a borrifar-me para quem faz golos. O Tiquinho [Soares] esteve fora durante mês e meio e se estivesse operacional já se dividiam mais os golos. Para mim não é importante. Há dinâmicas de espírito. Vejo o Aboubakar a festejar golos dos colegas, o Tiquinho a fazer o mesmo. Gosto que eles façam golos".

Apoio dos adeptos: "Não somos de ondas, somos de mar e temos um mar fantástico. Vai ser sempre assim? Se calhar não, mas acho que se acreditarmos e da maneira que os adeptos acreditam é fabuloso para todos nós. Quem me conhece sabe que sou uma pessoa frontal. Tenho que agradecer semanalmente por todo o apoio que nos dão".

Veja o resumo do jogo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.