Sérgio Conceição foi peremptório quanto a Iker Casillas. O técnico do FC Porto considera que não existiu nenhuma desavença com o guardião espanhol.

Em conferência de antevisão do encontro com o Boavista, o treinador portista refere que é exigente com todos os jogadores.

"Isto do Iker, não gosto de falar de jogadores individualmente. Mas acho que é importante eu esclarecer isso. O Iker, problema disciplinar não é, senão não estava nos convocados. A nível de comportamento, também não é por aí. Quando falo de opção técnica, tema ver com o treino. O que falei com o Iker e com o que falo com outros jogadores tem a ver com a minha liderança e a minha forma de trabalhar. O Iker quis saber porque não foi escolhido e eu expliquei naturalmente, a ele e ao outro. As pessoas sabem como é que funciono, quero que os jogadores dêem 100 por cento no treino. Eu tenho de gerir isso, se deixo fecho os olhos a um jogador, perco o grupo todo. Eu devo fechar os olhos a 15 dias de treino que não acho que atingiu o nível de exigência que quero? É tão simples como isto, podia-me esconder atrás da carapaça do que é o senhor Iker, que foi um problema disciplinar, que pegou no telemóvel, mas não existe mais nada, é isto", afirmou.

Quanto a Brahimi, Sérgio Conceição disse que não fez nada de diferente para aumentar o rendimento do jogador argelino.

"Ele sabe, dentro do que é a nossa dinâmica, a nossa forma de jogar, que assenta naquilo que deve se um colectivo forte. É óbvio que existem jogadores a atacar, defender, equilibrar. Segundo o papel de cada um, eu acho que devem dar a equipa aquilo que eu acho que é preciso. Acho que o Brahimi, dentro desta dinamica, está a ser importante e a fazer aquilo que eu quero. Acho que a diferença é que lhe disse aquilo que quero que faça. Não digo que os outros não disseram, não quero criticar o trabalho dos outros, pelo contrário, mas que se calhar diseram para jogar de forma diferente", referiu Sérgio Conceição, que espera um mar azul no Bessa.

"Sinceramente, espero um mar azul, que esse mar continue, porque os adeptos são uma mais-valia para a equipa. Não é qualquer tipo de apelo para os adeptos irem ao Bessa, é a verdade. Eu sei que há um entusiasmo grande à volta da equipa e nós temos essa responsabilidade de dar uma boa resposta e agradecer o apoio. E a melhor forma de o fazer é vencer e levar os três pontos".

O Boavista recebe o FC Porto este sábado, às 20h30, em jogo a contar para a décima jornada da Primeira Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.