Os vimaranenses estiveram a vencer por 2-0, mas na segunda parte acabaram por sofrer dois golos e consentir o empate. O treinador Sérgio Conceição considera que a sua equipa teve uma quebra física e justificou-a.

"Na segunda parte, houve uma quebra física de alguns jogadores. Tinham jogado há 72 horas. Foram três jogos numa semana em que 80 por cento dos jogadores foram sempre os mesmos. Entrámos com intenção de ganhar, dentro do possível. Não foi a intensidade que a equipa está habituada a meter no jogo. Depois, o Arouca, nas duas vezes que foi à baliza e entrou na área, fez golo. Foi eficaz naquilo que é a segunda parte”, analisou.

Já o treinador do Arouca, Lito Vidigal, acredita que a sua equipa merecia vencer a partida.

"Na primeira parte, tivemos três ou quatro oportunidades de golo. Só o Roberto, teve três oportunidades. Não conseguimos concretizar. Acho até que o jogador mais preponderante foi o guarda-redes do Vitória, que, se calhar, deu o ponto. Na primeira parte, estávamos a jogar bem, mas faltava um bocadinho mais de alma, coração e intensidade no momento da decisão. Foi o que aconteceu na segunda parte, e, por isso, conseguimos o empate, que soube a pouco. A atitude da minha equipa merecia que tivéssemos saído daqui com os três pontos”, atirou.

Veja o resumo do jogo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.