Os sócios do Vitória de Setúbal reprovaram hoje, de madrugada, o relatório e contas de 2015, que aumenta o passivo do clube em 252 mil euros, para um total de 16,54 milhões de euros.

Dos 120 associados votantes na assembleia geral, 58 votaram contra as contas apresentadas, 29 a favor e 33 abstenções, anunciou o presidente da Assembleia Geral (AG), Frederico Nascimento, que vai agora ter de agendar nova AG.

Além da reprovação das contas referentes ao exercício de 2015, os sócios também rejeitaram os orçamentos para os anos de 2016/2017 apresentados pela direção liderada por Fernando Oliveira.

O desfecho da reunião magna, realizada no pavilhão Antoine Velge, visa contestar a gestão do dirigente que está à frente dos destinos do Vitória desde 2009.

Após a votação, Júlio Adrião, adversário que foi derrotado nas eleições de 2014 à presidência do clube por Fernando Oliveira, pediu a demissão do atual líder e dos respetivos órgãos sociais.

"Esta direção é um 'flop' autêntico. Não fazem cá falta nenhuma. Têm de sair", exigiu, sendo aplaudido pelo público presente.

Os ânimos ficaram mais exaltados depois da votação, uma vez que, perante as dificuldades do líder da AG em pôr ordem na plateia, a direção de Fernando Oliveira se recusou a responder às questões colocadas pelos associados, dando Frederico Nascimento a assembleia por encerrada.

Antes da apresentação, discussão e votação do relatório de contas de 2015 e dos orçamentos de 2016, ambos rejeitados, foram dadas informações, conforme constava da ordem de trabalhos, sobre os Processos Especiais de Revitalização (PER) do clube e Sociedade Anónima Desportiva (SAD).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.