Sousa Cintra, que liderou os destinos do Sporting na transição entre Bruno de Carvalho e Frederico Varandas, ficou muito indignado com a notícia de que o emblema de Alvalade perdeu o diferendo que mantinha com o treinador Sinisa Mihajlovic, que colocou uma ação no TAS por ter sido dispensado logo após ter assumido a liderança da equipa técnica dos leões.

O Sporting vai ter de pagar agora 3 milhões de euros de indemnização ao treinador, sem direito a recurso. Na altura, a Comissão de Gestão era liderada por Sousa Cintra.

"Estou com a minha consciência perfeitamente tranquila. Na altura falámos com os advogados do Sporting, e até com outros, e todos disseram que o treinador estava numa fase experimental. Ele queria alterar tudo, estágios, planos, enfim... Mas pagar o quê? Que conversa é essa?", disse Sousa Cintra, citado pelo jornal A Bola.

"Passei a vida a defender sempre os interesses do Sporting, esta é conversa para outra gente, não é para mim. Ninguém defende mais o nome do Sporting do que eu. E nunca ali ganhei nada. Deviam ter vergonha!", acrescentou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.