O Sporting defendeu hoje a inexistência de “normais legais” que impeçam a introdução do I-Voting nas assembleias-gerais do clube e vai analisar a proposta de alteração dos estatutos, para que esse sistema possa ser implementado.

Num comunicado assinado pelo Conselho Diretivo do clube, os ‘leões’ explicaram que receberam o relatório do grupo de trabalho criado precisamente para avaliar a viabilidade legal e técnica do I-Voting, liderado pelo presidente da Mesa da Assembleia-Geral, Rogério Alves, e congratularam-se com o “teor das conclusões”, por considerar que este sistema de votação torna o voto acessível a todos os sócios.

“Do estudo e da análise realizados pelo grupo de trabalho não se identificam normas legais que impeçam a introdução do I-Voting nas assembleias gerais do Sporting”, lê-se no comunicado.

O Sporting explicou que a possível introdução do sistema mantém “inalterado, no essencial, o modelo de assembleias gerais” utilizado no clube e deverá garantir o segredo do voto e a autenticidade dos resultados.

“O Conselho Directivo irá agora em plenário analisar a proposta apresentada e, em caso de aprovação, promover os trâmites necessários para que a mesma seja colocada à apreciação e deliberação dos sócios, que terão sempre a última palavra sobre a introdução ou não do sistema de I-Voting”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.