Na caminhada para o título que fugia há 19 anos, Rúben Amorim apostou em 28 peças diferentes ao longo das dezenas de jogos realizados na Primeira Liga.

Se uns 'só' somaram meia-dúzia de minutos históricos, outros foram apostas constantes do técnico leonino e atores principais na história que levou ao fim da espera sportinguista pelo título nacional.

Toda a análise no Especial Sporting Campeão 2020/2021

Recordamos, de A a Z, os obreiros da festa leonina.

Adán

Foi o dono da baliza leonina durante a esmagadora maioria dos jogos do Sporting na Primeira Liga (falhou apenas um por castigo após completar uma série de cinco amarelos) e raramente teve de ir buscar a bola ao fundo da baliza. Se o setor defensivo dos leões impediu muitas vezes que a bola chegasse com perigo junto do guarda-redes, Adán foi a última barreira e mostrou-se a grande nível na hora de defender, tendo cometido apenas um erro em toda a época, no jogo frente ao Belenenses SAD, em Alvalade.

Antunes

Nuno Mendes foi o dono do corredor esquerdo, mas Antunes foi a opção de Amorim quando não pode contar com o jovem jogador. O experiente defesa de 34 anos mostrou-se a bom nível quando entrou em campo, tendo merecido elogios de Rúben Amorim na vitória frente ao Marítimo.

Borja

Começou a época de leão ao peito, mas acabou por se mudar para Braga no mercado de janeiro. Até à mudança para os arsenalistas, não teve muito espaço na equipa de Rúben Amorim, somando 98 minutos entre setembro e janeiro.

Coates

'El Patron' da defesa leonina, teve a sua melhor época de leão ao peito e, provavelmente, a melhor de toda a sua carreira. Com 30 anos, Sebastián Coates foi o líder da equipa e responsável por uma parte dos pontos alcançados pelo Sporting graças aos seus golos 'SOS' no final dos jogos frente a Gil Vicente e Santa Clara. Barreira muitas vezes intransponível para os adversários, o capitão leonino foi um dos grande obreiros do título.

Daniel Bragança

O médio, de 21 anos, começou a época como suplente, mas foi-se afirmando e ganhando o seu espaço na equipa, tendo sido opção constante de Rúben Amorim na segunda volta do campeonato. Atuou em várias posições, revelando-se um 'canivete suíço'.

Dário Essugo

Bastaram seis minutos para o colocar na boca dos adeptos. O médio de 16 anos tornou-se no jogador mais jovem de sempre a atuar na Primeira Liga, quando entrou aos 84 minutos do jogo frente ao Vitória de Guimarães (24.ª jornada), que o Sporting vencia por 1-0. Apesar do resultado perigoso, Dário Essugo mereceu a confiança de Amorim.

Eduardo Quaresma

Perdeu espaço na equipa principal, quando comparado com o ano passado, onde realizou nove jogos pelo Sporting. Esta temporada, o central de 19 anos somou apenas três jogos pela equipa principal (dois no campeonato e um na Taça da Liga), contabilizando um total de 177 minutos.

Feddal

Chegou no último verão vindo do Bétis e rapidamente segurou um lugar na defesa leonina. Com Coates, formou uma dupla de centrais experiente e muito responsável pelo bom registo defensivo leonino esta época. O marroquino leva ainda dois golos no campeonato, frente a Portimonense (20.ª jornada) e Nacional (30.ª jornada).

Gonçalo Inácio

Estreou-se esta época na equipa principal e foi um dos jovens 'made in Alcochete' a deixar a sua marca na caminhada para o título. Forte na saída com bola, o central de 19 anos mostrou-se eficaz também no momento defensivo. Acabou por ser decisivo ao apontar, de cabeça, o único golo do Sporting na receção ao Vitória de Guimarães (1-0) na jornada 24 da I Liga.

Jovane Cabral

O segundo melhor marcador da equipa (apenas atrás de Pedro Gonçalves) perdeu espaço no onze ao longo da época, mas correspondeu quase sempre que foi lançado em campo. Foi muitas vezes o trunfo de Rúben Amorim para desbloquear jogos mais complicados, como aconteceu no empate (2-2) com o Belenenses SAD e no triunfo (2-0) sobre o Nacional, sem esquecer também o 'bis' na meia-final da Taça da Liga frente ao FC Porto.

João Mário

Uma das peças mais importante no miolo leonino, ganhou nova vida no regresso a Alvalade. A sua dupla com João Palhinha trouxe ao meio-campo segurança e capacidade de decisão. Soma, até ao momento, dois golos na I Liga frente a Belenenses SAD (11.ª jornada) e Paços de Ferreira (19.ª jornada).

João Pereira

Foi titular numa só partida, frente ao Rio Ave, mas aproveitou para mostrar serviço no corredor direito, onde ocupou o lugar de Pedro Porro. Aos 37 anos, João Pereira despede-se dos relvados com o seu primeiro título nacional.

Luís Neto

Começou por ser aposta regular de Rúben Amorim na defesa leonina, tendo relegado para fora das opções o jovem Eduardo Quaresma. Em janeiro, Neto era mesmo o jogador com mais passes certos na I Liga (619) e o líder na lista dos futebolistas com mais interceções (37). No entanto, um erro que resultou num golo do Gil Vicente em Barcelos, na 18.ª jornada, fez com que saísse ao intervalo e ficasse no banco de suplentes até à 24.ª ronda. A partir daí, o seu percurso tornou-se mais inconstante.

Matheus Nunes

Pode ser considerado um dos amuletos da sorte de Rúben Amorim e do Sporting na presente temporada. O médio brasileiro somou três golos na I Liga, sendo que todos aconteceram em jogos importantes para os leões, com destaque para o cabeceamento certeiro no dérbi com o Benfica, já no período de compensação, e para o tento que garantiu, na reta final, três preciosos pontos em Braga (já havia marcado aos minhotos na primeira volta).

O título do Sporting em imagens
A ronda 16 teve direito a dérbi em Alvalade. Na receção ao Benfica, e depois de 90 minutos sem golos, Matheus Nunes apontou o golo da vitória leonina já nos descontos.

Matheus Reis

Chegou a Alvalade no passado mês de fevereiro, por empréstimo do Rio Ave, tendo sido titular no Sporting em duas ocasiões: diante do Farense (27.ª jornada) e do Belenenses SAD (28.ª jornada).

Max

O guarda-redes de 22 anos perdeu a titularidade com a chegada de Adán, tendo substituído o espanhol (castigado) no triunfo por 2-0 sobre o Nacional - há nove meses que não jogava para o campeonato.

Nuno Mendes

Na segunda época ao serviço da equipa sénior, o jovem defesa de 18 anos afirmou-se no lado esquerdo na defesa leonina, destacando-se como uma das peças fundamentais na equipa orientada por Rúben Amorim, sobretudo a nível ofensivo. Condicionado por lesões ao longo da época, o jovem acabou por fazer a diferença no lado esquerdo, pela capacidade física e maturidade, com ou sem bola. Contribuiu ainda com um golo no campeonato, ao abrir o ativo no Algarve no triunfo por 2-0 frente ao Portimonense (3.ª jornada), à passagem do minuto 4.

Nuno Santos

Terceiro melhor marcador do Sporting, em igualdade com Coates, o avançado de 26 anos chegou a Alvalade no último verão, depois de ter sido contratado ao Rio Ave. Afirmou-se rapidamente como uma das figuras do ataque leonino, com sete golos marcados (seis na I Liga e um na Taça de Portugal).

Palhinha

Depois de uma época bem sucedida no SC Braga, o médio regressou ao Sporting determinado a ganhar um espaço nas opções iniciais de Rúben Amorim. Acabou por ser, até ao momento, o sexto jogador mais utilizado pelo técnico leonino. Exímio nas recuperações de bola e na forma como desarma o adversário, Palhinha revelou-se fundamental no elo de ligação entre setores. Apontou um golo no campeonato no triunfo por 2-0 frente ao Paços de Ferreira.

Pedro Porro

Chegado por empréstimo do Manchester City, foi dono e senhor do corredor direito do Sporting e uma das revelações da Primeira Liga, com a sua velocidade e capacidade de desequilíbrio. Pelo meio, ainda conseguiu ajudar a equipa com três golos (Boavista, Tondela e Famalicão). Apenas Coates foi mais utilizado do que Porro.

Pedro Gonçalves

Contratado ao Famalicão no verão, Pedro Gonçalves é, porventura, a grande figura do campeonato na equipa de Rúben Amorim. Inteligência tática, qualidade técnica e capacidade para ler os momentos do jogo são características que todos lhe reconhecem. Leva 18 golos na I Liga e vai tentar até ao fim sagrar-se o melhor marcador do campeonato.

 Os sub-23 com mais credenciais para jogar na Seleção portuguesa
Pedro Gonçalves em ação (Sporting) créditos: © 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Paulinho

Foi com grande expectativa que o goleador do SC Braga rumou a Alvalade, no mercado de inverno. O arranque ao serviço dos leões não lhe correu de feição, tendo inclusive sofrido uma lesão que o afastou de quatro jogos. Depois de muitas tentativas, o primeiro golo de leão ao peito surgiu no empate (1-1) com o Moreirense, da 25.ª jornada. Voltou a fazer o gosto ao pé com um golaço na visita ao Rio Ave (0-2) e esta terça-feira frente ao Boavista, no jogo que deu o título ao Sporting.

Plata

O extremo equatoriano teve uma prestação bastante discreta na equipa principal do Sporting, e acabou por ser relegado para a formação secundária, pela qual efetuou cinco jogos e marcou dois golos. Após pedir desculpa publicamente a Amorim, Plata foi reintegrado nos trabalhos da equipa principal, tendo posteriormente alinhado em dois jogos como suplente utilizado.

Sporar

O avançado esloveno rumou ao SC Braga no mercado de inverno, incluído na transferência de Paulinho para Alvalade. Antes da mudança, Sporar levava três golos em 13 jogos da I Liga pelo Sporting na presente temporada.

Tabata

O extremo brasileiro contratado ao Portimonense não conseguiu afirmar-se nos leões, tendo sido titular em apenas duas ocasiões para o campeonato (na visita ao Belenenses SAD e na receção ao Santa Clara), sem qualquer golo apontado - marcou um golo na Taça de Portugal e outro na Taça da Liga.

Tiago Tomás

O avançado, de 18 anos, foi o terceiro jogador mais utilizado por Rúben Amorim, apenas atrás de Coates e Porro. Titular em 16 jornadas da I Liga, Tiago Tomás soma ainda três golos, sendo que o último ajudou a desbloquear um jogo complicado em Tondela, na 23.ª jornada.

Vietto

O avançado argentino saiu do Sporting ao fim de quatro jornadas, tendo assinado pelo Al-Hilal, da Arábia Saudita. Ainda assim, fez questão de deixar a sua marca com um golo aos 87 minutos do encontro com o FC Porto, que valeu o empate 2-2 no clássico em Alvalade.

Wendel

O médio brasileiro ainda alinhou 90 minutos em Paços de Ferreira, na 2.ª jornada do campeonato, antes de assinar contrato com os russos do Zenit.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.