Além de ter falhado a segunda tranche de pagamento da transferência de Rodrigo Battaglia, que devia ter sido regularizada até 15 de fevereiro, o Sporting não pagou a segunda prestação referente ao negócio de Marcos Acuña que estava agendada para janeiro, no valor de cerca de 1,65 milhões de euros, que no mercado de verão chegou a Alvalade por mais de 10 milhões de euros.

O Racing Avellaneda, clube a que pertencia o internacional argentino, reclama o pagamento da verba em falta e ameaça avançar com uma queixa na FIFA caso o clube de Alvalade não regularize a situação.

“O Sporting ainda não pagou a prestação de janeiro. São quase dois milhões que estão a dever e, obviamente, vamos recorrer à FIFA se não pagarem”, afirmou Miguel Jiménez, vice-presidente do Racing de Avellaneda, em declarações ao jornal O Jogo.

O jornal A Bola cita fonte leonina para garantir que o assunto está a ser tratado entre os dois clubes e que a dívida deverá ser saldada nos próximos dias. A mesma fonte garante que o Sporting tem a dinheiro a receber relativo às transferências de Shikabala (Zamalek), Elias (Atlético Mineiro) e Elias (Sport Recife).

Marcos Acuña foi contratado ao Racing Avellaneda no último verão por 10,591 milhões de euros, sendo que a primeira prestação do negócio – 3,3 milhões de euros – foi paga em dezembro, de acordo com dados que constam do relatório e contas do 1.º semestre de 2017/18 da SAD leonina.

No momento da assinatura do contrato de Acuña, o Sporting garantiu o direito de preferência sobre três jogadores do emblema argentino, bem como a realização de um encontro amigável.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.