A única coisa monumental, hoje, em Alvalade foi a assobiadela no final do jogo. Durante a segunda parte foram mais intensas que no primeiro tempo. O Belenenses tinha acabado ao ataque e não foi a pausa para intervalo que modificou essa situação.

Perante uma passividade inexplicável por parte do Sporting, os homens do Restelo ganharam alento e pegaram no jogo. Nos primeiros dez minutos, duas situações perigosas contra nenhuma do Sporting.

Vukeciv, talvez o melhor em campo, foi o sacrificado para dar lugar a Pereirinha e Yannick Djaló substituiu um desinspirado Angulo, e as substituilções pareciam ter surtido efeito e animaram, por momentos, as bancadas.

Aos 60 minutos Postiga, após canto, cabeceou a bola que rasou a trave da baliza de Nelson. Nem um minuto depois, Liedson rematou, a bola bateu num defesa, e quase que traía o guardião dos azuis do Restelo.

Postiga também acabou no banco, por troca com Caicedo, e os adeptos não gostaram, brindando a saída do português com mais uma assobiadela.
Mas a melhor hipótese de todo o jogo esteve nos pés do equatoriano, que ao querer fazer “bonito” e não rematando de primeira, perdeu o duelo com Nelson.

O Sporting acabou a massacrar, mas a ansiedade falou mais alto e toldou o lado racional da equipa.

À sétima jornada, o Sporting brindou os adeptos com mais uma exibição aquém das expectativas de uma equipa que luta pelo título e que está a 10 pontos do líder e a seis do Benfica, segundo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.