O Sporting venceu hoje em casa do Boavista (2-0), no jogo que encerrou a 15.ª jornada da I Liga, mantendo assim a distância para o FC Porto, segundo classificado da prova, e abrindo seis pontos de vantagem para o Benfica a uma semana do dérbi.

Um golo de Nuno Santos, aos 22 minutos, e outro de Pedro Porro, aos 77, permitiram novo triunfo aos 'leões', que comandam a prova com 39 pontos, enquanto os axadrezados mantêm a lanterna-vermelha, com 11 pontos.

Rúben Amorim trocou quatro peças em relação à final da Taça da Liga, uma delas forçada: entraram Neto, Matheus Nunes, Nuno Santos e Sporar e saíram Gonçalo Inácio, Palhinha, Tiago Tomás e Pedro Gonçalves (castigado). Por sua vez, Jesualdo Ferreira apostou num esquema de três centrais, à semelhança do que Vasco Seabra fez contra o Benfica - única vitória dos axadrezados na I Liga. Chidozie e Devenish, expulsos em Tondela, foram rendidos por Rami e Porozo, com Nuno Santos a dar o lugar a Gómez.

Sem surpresas, o Sporting entrou mais pressionante e a ganhar praticamente todos os duelos, perante um Boavista que tentava criar perigo no contra-ataque. Aos 22 minutos, no primeiro remate dos 'leões' na partida, Nuno Santos desviou um cruzamento de Nuno Mendes para o fundo das redes. Fábio Veríssimo começou por assinalar posição irregular do extremo, mas o VAR validou o golo por 10 centímetros.

A partir daqui intensificou-se o domínio da equipa de Rúben Amorim. Aos 27' Nuno Mendes aproveitou um mau alívio da defesa axadrezada e atirou de primeira, com a bola a passar perto da baliza de Léo Jardim. Depois foi Sporar a falhar o desvio em excelente posição (33'), depois de um grande cruzamento de Nuno Mendes.

Os 'leões' não desistiam de chegar ao 2-0, mas havia sempre alguém pela frente: Jovane viu Porozo negar-lhe o golo em cima da linha e João Mário, depois de fintar Rami com muita classe, atirou contra as pernas de Léo Jardim.

O Boavista mostrava muitas dificuldades com bola e só conseguiu criar perigo perto do intervalo. Aos 39' Neto fez um atraso arriscado para Adán, mas o guardião espanhol, com a ajuda preciosa de Coates, conseguiu antecipar-se a Elis, que ainda teve um golo anulado por fora de jogo aos 45'.

Jesualdo Ferreira decidiu abdicar dos três centrais para a segunda parte (Benguche entrou para o lugar de Gustavo), com os axadrezados a oscilarem entre um 4x3x3 e um 4x1x3x2. O Boavista começou a subir mais no terreno, mas nem de bola parada conseguiu incomodar Adán.

Mesmo com menos bola, o Sporting continuou a criar perigo e aos 53' Sporar protagonizou o falhanço da noite: Nuno Santos ultrapassou Cannon em velocidade e entregou o golo ao esloveno, que desviou ao lado a cerca de um metro da baliza. Aos 60' João Mário rematou em posição frontal, mas ligeiramente por cima, à entrada da grande área.

Acabou por ser Pedro Porro a sentenciar o jogo, apenas três dias depois de marcar o golo da vitória do Sporting na Taça da Liga, com um golaço: a jogada começou num cruzamento para a área que a defesa do Boavista afastou, o espanhol recebeu a bola a trinta metros da baliza, tirou Hamache do caminho e disparou uma bomba ao ângulo, sem hipótese para Léo Jardim.

Sem grandes sobressaltos até ao fim - exceção feita ao cabeceamento de Rami travado por Adán - o Sporting consegue manter a distância para o segundo lugar e abrir seis pontos de vantagem para o Benfica a uma semana do dérbi. Fica, no entanto, sem Palhinha (viu o quinto amarelo) para o encontro com os 'águias'.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.