O Sporting venceu, esta segunda-feira, o Marítimo por 1-0, em partida a contar para a 18.ª jornada da I Liga. Cristián Borja marcou o único golo da noite.

O que tem a ver a crueldade dos números com as bancadas despidas em Alvalade? Tudo. Com o 'leão' a 22 pontos do primeiro lugar, o tempo pouco propício e com um jogo a más horas, o Sporting-Marítimo era tudo menos apetecível.

Para a partida, o principal atrativo seria a possível estreia do reforço esloveno Andraz Sporar.

A vontade haveria de se lhe feita aos 15 minutos quando entrou para o lugar do lesionado Luis Phellype. O leão iniciou a partida num 4-3-3, com Jesé Rodríguez e Rafael Camacho no apoio ao dianteiro brasileiro. Na defesa, Luís Neto juntou-se a Coates. Borja assumiu o lado esquerdo da defesa.

Com o terceiro lugar no pensamento, depois da derrota do Famalicão, o Sporting entrou a querer mandar no jogo através da mobilidade de Bruno Fernandes e da condução de Wendel.

O primeiro sinal de perigo surgiu por intermédio de Ristovski, num pontapé de primeira. A lesão de Luis Phellype à passagem do quarto de hora permitiu a entrada de Sporar, num momento que causou frisson nas bancadas de Alvalade.

Com o Sporting sedento de vitórias e com várias equipas à perna depois da derrota frente ao Benfica (Liga), os verdes e brancos quase marcaram logo no primeiro lance do esloveno. Valeu Amir a negar.

Aos 19´, a equipa da casa marcou mesmo, num pontapé acrobático de Coates, mas o lance foi invalidado. A equipa de Silas estava claramente dominadora, mas não conseguia definir da melhor forma no último terço. Já os insulares estavam encostados lá atrás e sem conseguirem desenvolver jogadas de ataque.

Contudo, apesar da incapacidade em criar foi da equipa de José Gomes a melhor oportunidade da primeira parte. Maximiano negou o golo a Rodrigo Pinho depois de um passe de Nanu (38´).

O Sporting acabava a primeira parte e iniciava a segunda com o golo no pensamento. Rafael Camacho fez a vontade a Silas e aos adeptos do Sporting e marcou, mas o lance acabou invalidado pelo VAR.

Dada a ineficácia leonina, o leão punha-se a jeito. Rodrigo Pinho voltou a assustar. Depois de passar por Neto, Coates e Max foi Ristovski a evitar o golo do avançado.

Com a necessidade de somar três pontos, Silas lançava Plata para o lugar de Jesé. O equatoriano teve oportunidade de desbloquear depois de um passe de Bruno Fernandes, mas atirou para os braços de Amir. Ao minuto 70´, Fernandes ensaiou uma das suas habituais bombas, com a bola a embater caprichosamente no ferro.

Parecia que o golo não queria nada com o Sporting, também é certo que o nível de produção ofensivo era escasso. Ao minuto 76´, o golo chegou por intermédio de uma espécie de herói inesperado: Cristian Borja fuzilou após cruzamento do recém entrado Jovane.

Em cima do apito final, Jovane, que tem tido tão poucas oportunidades esta época, esteve perto num tiro, mas Amir negou-lhe as intenções.

Foi bonito? não foi. Mas o Sporting alcançou o que mais necessitava, os três pontos e o terceiro lugar da tabela. Na próxima partida, os verdes e brancos deslocam-se a Braga.

VEJA O RESUMO DO ENCONTRO

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.