Radamel Falcao protagonizou uma das maiores transferências deste defeso, ao transferir-se do FC Porto para o Atlético de Madrid por 40 milhões de euros, e em entrevista ao jornal”A Bola” confessa que o desejo de jogar em Espanha foi a motivação mais forte para mudar.

«Surgiu a opção de poder fazer parte do projecto dum clube sério e muito importante do futebol espanhol. Seduzia-me muito a hipótese de poder jogar numa das melhores Ligas mundiais, se não a melhor. Aqui estão os dois melhores jogadores do mundo [Messi e Cristiano Ronaldo] e isso era um desafio que sempre estive disposto a aceitar.»

O colombiano percebe que os adeptos tenham ficado tristes com a sua saída do Dragão mais diz que não se sente um traidor.

«O que fiz foi dar o máximo ao FC Porto no tempo que lá estive e, depois, cuidar da minha carreira. Qualquer futebolista hoje está aqui e amanhã pode estar noutro sítio. Até agora nunca vi um jogador assinar um contrato para toda a vida com um clube», diz Falcao, que afirma ter dos anos de Portugal as melhores recordações.

«O FC Porto é um clube com uma grande organização, que me ajudou a crescer como futebolista. Ao fazer parte duma equipa séria e disciplinada só tive de fazer o meu jogo de sempre, consciente de que os bons resultados chegariam. Tinha a certeza do que queria. Trabalhei muito e, com a ajuda dos meus companheiros e o apoio da estrutura do clube, consegui triunfar. A minha passagem por Portugal foi extremamente positiva, fui muito feliz, toda a gente se comportou de forma excelente comigo, dando-me provas da máxima amizade. Estou muito agradecido. Sempre recordarei o FC Porto e os portugueses com o máximo carinho.»

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.