“É preciso ter alguma lucidez para não dizer aquilo que sinto”, começou por disparar Jesualdo numa alusão clara ao desagrado face ao resultado do jogo, mas sobretudo à arbitragem do árbitro setubalense.

O treinador portista explicou que “houve uma parte do jogo em que o Porto foi perdulário”, mas questionou que na outra parte tivesse havido jogo.

“Houve anti-jogo permanente e um pénalti claro sobre o Ruben”, relembrou, acrescentando que se o árbitro entendeu o lance como simulação devia ter mostrado o segundo amarelo ao jogador madeirense.

“Possivelmente teve peso na consciência”, avançou.

Enigmático q.b., Jesualdo Ferreira disse ainda perceber para onde caminha o campeonato.

“A linha de funcionamento do campeonato está a andar bem e está criada. Creio que a carreira do Porto até ao fim vai ser muito difícil até porque já fomos muitas vezes penalizados pela arbitragem”

"Mas o FC Porto ainda está na corrida para o título de campeão nacional. Contra tudo e contra todos, ainda somos tetracampeões nacaionais e queremos o penta.", acrescentou o professor.

Quanto ao jogo, Jesualdo assumiu responsabilidade dos dragões no resultado, “porque falhámos alguns golos”,explicou acrescentando que “há situações pouco claras e perdemos dois pontos que devíamos ter ganho”. Mas não deixou de dizer que os seus jogadores foram "bravos pela forma como se debateram dentro de campo".

“Assumimos as nossas responsabilidades mas não as dos outros”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.