O Benfica venceu na visita ao reduto do Tondela por 0-1, graças a golo de Ferro ainda na primeira parte, e sobe à liderança, ficando a aguardar o resultado de mais logo no Dragão.

Bruno Lage mexeu nas peças do jogo, em comparação com o último onze 'encarnado' frente ao Lyon, para a Liga dos Campeões, com a titularidade de André Almeida, Taarabt e Pizzi. Chiquinho, lesionado desde agosto, regressou ao banco das 'aguias'.

Os jogadores entraram em campo acompanhados de 22 heroínas: 22 mulheres que venceram o cancro da mama acompanharam os 22 titulares, numa grande iniciativa do clube beirão, no mês de consciencialização para a prevenção do cancro da mama.

O Benfica começou forte, logo a contar com dois cantos nos primeiros cinco minutos de jogo, mas foi o Tondela a criar maior perigo e por duas vezes consecutivas, aos 9 minutos, Denilson Jr a obrigar Vlachodimos à defesa e logo de seguida, Xavier a obrigar o guarda-redes das 'águias' a esticar-se e a defender com a ponta dos dedos o remate do jogador do Tondela.

O Tondela aproveitava o contra-ataque e ia assim respondendo ao domínio 'encarnado' em sua casa, com o Benfica a ter maior controlo territorial e maior posse de bola.

E o domínio das 'águias' acabou mesmo por dar em golo: Canto marcado por Grimaldo e Ferro, sem tirar os pés do chão, cabeceia para o primeiro golo da partida.

O Tondela procurou responder logo de seguida, com Denilson a cabecear em zona perigosa, mas por cima da baliza de Vlachodimos.

O Benfica ia tendo um domínio relativo: mais bola, mais remates e cobrindo mais área, mas era o Tondela que nas poucas oportunidades que ia tendo ia causando mais perigo, com Xavier e Denilson.

A segunda parte começou tal qual a primeira, com o Benfica instalado na metade 'beirã' do relvado, mas sem grandes oportunidades para qualquer uma das equipas.

Nesta altura o Benfica mantinha o jogo controlado, apesar de não ter grandes oportunidades, o mesmo acontecia com a equipa da casa.

Aos 66 minutos, Bruno Lage faz a primeira mexida: Taarabt sai para dar lugar ao regressado Chiquinho. O médio não jogava desde a lesão frente ao FC Porto, na Luz, a 24 de agosto e chegou a ter regresso marcado só para 2020, mas pouco mais de dois meses depois, regressou aos relvados.

Com a entrada do médio, o Benfica passou a criar mais perigo, situação para a qual tambem terá contribuído o facto de Natxo Gonzalez ter tirado de jogo Philipe Sampaio para a entrada de Richard Rodrigues, passando o Tondela a atuar com quatro em vez dos cinco defesas iniciais.

E foi mesmo Chiquinho a obrigar Claudio Ramos à defesa a dois tempos quando em posição frontal, com um forte remate, obrigou o guardião da equipa anfitriã a 'aquecer' as mãos.

O tempo ia escasseando e a tarefa ia ficando mais difícil para a equipa de Nacho com a lesão de Denilson, um dos que mais perigo causou ao Benfica, a obrigar o treinador espanhol a esgotar as substituições, já depois de ter feito entrar Toro para o lugar de Filipe Ferreira.

Ainda assim, nos minutos finais, o Tondela instalou-se, por momentos, na grande área de Vlachodimos e tentava chegar ao golo que desse o ponto do empate à equipa da Beira Alta, com Jonathan aos 88' a obrigar ao corte de Rúben Dias para canto.

Depois dos cinco minutos de compensação, Hugo Miguel apitou para o final de uma partida 'morna' em que o Benfica saiu vencedor apesar de não ter realizado uma exibição de encher o olho.

Com a vitória em Tondela, o Benfica fica na liderança à condição, ficando a aguardar o resultado do Famalicão que joga esta tarde frente ao FC Porto no Estádio do Dragão.

*Artigo atualizado às 22h18

 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.