O treinador do Santa Clara, Daniel Ramos, espera muitas dificuldades na receção ao FC Porto, até por considerar que o campeão nacional fica numa posição “incómoda” se continuar a perder pontos na I Liga de futebol.

“Temos a noção de que é um jogo que traz um grau de dificuldade bastante elevado e percebemos também que, da parte do FC Porto, continuar a perder pontos fica incómodo perante aquilo que é importante para [depois] recuperar”, afirmou Daniel Ramos, em conferência de imprensa, no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada.

Para Daniel Ramos, compete ao Santa Clara “identificar” o que é “importante para o jogo” e ter a noção do “grau de dificuldade” do encontro de sábado frente aos campeões nacionais, da oitava jornada do campeonato.

“O que nos compete é identificar aquilo que é importante para o jogo, é percebermos que esse grau de dificuldade vai existir, é prepararmos, como fizemos durante a semana, a equipa, para este grau de dificuldade e respondermos dentro de campo”, declarou.

O treinador referiu que a equipa pretende “fazer um bom jogo” e criar “dificuldades” ao FC Porto, destacando que a “meta” do Santa Clara em todas as partidas é a “procura da vitória”.

Segundo o novo modelo de acesso à Taça da Liga, entrarão na competição os seis primeiros classificados da I Liga após a última jornada de novembro. Sobre a possibilidade de disputar a prova, Daniel Ramos frisou que é um “bónus”, mas que o “principal objetivo” dos açorianos é o campeonato.

“A preocupação é continuarmos a somar pontos para a nossa caminhada durante o campeonato, na procura de andarmos em posições boas, com notoriedade, sem aflições e irmos fazendo uma caminhada segura, tranquila, boa”, apontou.

O treinador rejeitou que a jornada europeia do FC Porto – que derrotou o Marselha na quarta-feira, por 2-0, para a Liga dos Campeões – possa ser benéfica para o Santa Clara.

Para Daniel Ramos, o plantel dos ‘azuis e brancos’ tem “capacidade para ser reajustado” e a “máquina FC Porto tem experiência a responder a um tempo curto de recuperação”.

“O fator vitória muitas vezes esconde aquilo que é um outro jogador mais ou menos fatigado, e a vitória traz outra alegria às pernas”, acrescentou.

Ainda assim, o técnico dos açorianos defendeu que o tempo entre as partidas devia ser “mais longo”, ressalvando, contudo, que este ano é “atípico”, devido à pandemia da covid-19.

“O tempo devia ser mais longo, para jogarmos mais espaçadamente e até para prepararmos o jogo e descansarmos”, apontou.

O Santa Clara, sexto classificado, com 10 pontos, recebe o FC Porto, quarto com 13, no próximo sábado, às 17:00 locais (mais uma hora no continente), no estádio de São Miguel, nos Açores.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.