O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) indeferiu uma providência interposta pelo diretor de comunicação do F.C. Porto, Francisco J. Marques, no sentido de garantir que a análise do seu recurso tivesse efeito suspensivo, escreve o jornal Record.

De acordo com a informação veiculada pelo referido diário desportivo, Francisco J. Marques interpôs uma providência no sentido de garantir que a análise do seu recurso tivesse efeito suspensivo, mas esse passo jurídico foi indeferido pelo TAD.

De acordo com o mesmo jornal, Francisco J. Marques tinha como objetivo assegurar que uma eventual decisão favorável não surgisse apenas depois de cumprido o tempo efetivo de castigo, o que acabaria por permitir apenas uma reparação moral, sem efeitos práticos.

Apesar desta posição do TAD, o jornal Record não conseguiu confirmar se o recurso de Franciso J. Marques foi rejeitado, pelo que alegamente se mantém a correr.

Recorde-se que o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol aplicou um castigo de 60 dias ao dirigente do F.C. Porto pelas duras críticas à arbitragem do jogo entre Vitória de Setúbal e Benfica. O F.C. Porto foi mesmo ameaçado de perder pontos em caso de incumprimento e por essa razão Francisco J. Marques não ter aparecido no Porto Canal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.