Com ilustrações de Pedro Vieira, este livro surge dois anos depois de o autor ter compilado num volume as frases mais hilariantes dos políticos portugueses pós-25 de Abril.

“Desde aí, fiquei com a ideia de fazer o mesmo com o futebol. A matéria-prima é de muita qualidade, em ambos os casos”, disse à Lusa João Pombeiro, actual editor-executivo da revista Ler.

Depois de “mais de um ano de pesquisa, entre a Hemeroteca e os arquivos dos jornais desportivos”, o resultado inclui pérolas como: “A grande verdade é que se não houvesse um livre e um autogolo, se calhar a táctica tinha sido boa” - a justificação dada por Fernando Santos, treinador do Sporting, após a derrota com o Gençlerbirligi (Turquia) por três-zero em Alvalade, em 2003.

Ou “Jogar à defesa pode ser uma faca de dois legumes”, frase proferida por Carlos Manuel de Oliveira Magalhães, mais conhecido como “Litos”, defesa do Boavista, em Dezembro de 2000, comentando o estilo de jogo defendido por Jaime Pacheco.

Ou ainda “Gabriel García Marquez? Jogador não é…”, o comentário de Octávio Machado, treinador de futebol actualmente sem clube, em resposta a um questionário de escolha múltipla do jornal O Independente: seria García Marquez a) ponta-de-lança do Boca Juniors, b) escritor, c) chefe de Estado, ou d) cantor dos Andes?

“O futebol é tragédia, comédia, bola no pé e fé em Deus. Ou em Jesus. E as frases que fui recolhendo reflectem esse lado mais hilariante, em que o protagonismo é dividido entre jogadores, árbitros, treinadores e presidentes”, observou João Pombeiro.

Inquirido pela Lusa sobre como pensa que o universo futebolístico português reagirá a este livro, cujo título é “forte”, “30 Anos de Mau Futebol”, o autor respondeu: “Espero que reaja sobretudo comprando o livro. Esse é o primeiro passo. O segundo é ter sentido de humor. É tão simples”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.