A revista Sábado divulgou esta quinta-feira algumas partes da descrição feita pela procuradora do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do Montijo sobre as agressões aos jogadores, equipa técnica e staff do Sporting na academia de Alcochete, na tarde de terça-feira.

A publicação dá conta do que foram os 30 minutos de terror vivido no balneário e que incluiu ameaças, agressões, e lançamentos de tochas.

"Vocês são uns filhos da p..., cabrões! Vocês são um monte de merda! Vamos matar-vos! Vocês estão f...! Vamo-vos arrebentar a boca toda! Não ganhem no domingo que vocês vão ver"!, escreve a 'Sábado'.

"Os arguidos atingiram fisicamente o jogador Bas Dost, atingindo-o com um cinto na cabeça e com pontapés em diversas partes do seu corpo", pode ler-se no despacho do MP, que refere ainda que Jorge Jesus foi agredido "com um cinto na zona da face" e com pontapés "em diversas partes do seu corpo".

"Aí chegados (ao balneário onde estavam os jogadores), surpreenderam todos os jogadores e elementos da equipa técnica e, bloqueando as respetivas saídas, impediram a saída daqueles do local, (...) tendo aí arremessado quatro tochas, com a intenção de os amedrontar, intimidar e atingir fisicamente, obstando à saída dos mesmos do local", refere ainda o documento.

A revista 'Sábado' revela ainda que William Carvalho, Acuna, Battaglia, Fredy Montero, Misic, Rui Patrício, Petrovic foram outros jogadores agredidos a soco e pontapé, assim como o treinador adjunto Mário Monteiro e o enfermeiro Carlos Mota. Ludovico Marques, fisioterapeuta da equipa, foi atingido com um soco.

Sporting: GNR fez 23 detenções, apreendeu cinco viaturas e recolheu 36 depoimentos
Sporting: GNR fez 23 detenções, apreendeu cinco viaturas e recolheu 36 depoimentos
Ver artigo

A 'Sábado' já tinha avançado esta esta quinta-feira que o Ministério Público deverá pedir prisão preventiva para os 23 detidos por suspeitas de ataque à academia de Alcochete e agressões a jogadores e treinadores do Sporting.

O Ministério Público disse ontem que os detidos pelas agressões a futebolistas do Sporting são suspeitos de práticas que podem configurar crimes de sequestro, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada, e terrorismo, entre outros.

Na terça-feira, cerca de 50 pessoas, de cara tapada, alegadamente adeptos ‘leoninos’, invadiram a Academia do Sporting, em Alcochete, e, depois de terem percorrido os relvados, chegaram ao balneário da equipa principal, agredindo vários jogadores, entre os quais Bas Dost, Acuña, Rui Patrício, William Carvalho, Battaglia e Misic, assim como o treinador Jorge Jesus e outros membros da equipa técnica.

A equipa principal do Sporting cumpria o primeiro treino da semana, depois da derrota no terreno do Marítimo (2-1), que relegou a equipa para o terceiro lugar da I Liga, iniciando a preparação para a final da Taça de Portugal, no domingo, frente ao Desportivo das Aves.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.