Varandas Fernandes, vice-presidente do Benfica, comentou a notícia da revista 'Sábado' sobre a identidade do 'hacker' que teve acesso a informação confidencial do clube da Luz.

O dirigente encarnado apontou o dedo ao diretor de comunicação do FC Porto e à antiga direção do Sporting, sublinhando que ninguém divulgaria essa informação a troco de nada.

"Foi o diretor de comunicação do FC Poro que exibiu o produto desse roubo. Essa informação roubada foi divulgada em blogs afetos ao Sporting Clube de Portugal com a convivência da antiga direção. Ninguém acredita que o hacker ia divulgar essa informação a troco de nada", disse, esta quinta-feira, em conferência de imprensa no estádio da Luz.

De acordo com a informação veiculada pela referida publicação, o 'hacker' de Gaia que acedeu aos e-mails do S.L. Benfica chama-se Rui Pinto, é um génio informático com menos de 30 anos e vive atualmente na Europa de Leste.

Segundo escreve a revista Sábado, a Polícia Judiciária acredita saber quem foi o informático que acedeu ao correio electrónico do S.L. Benfica e que desencadeou todo o processo conhecido como 'caso dos e-mails'.

Mas o processo judicial em que o pirata informático português é suspeito vai para além do roubo de correspondência do S.L. Benfica. Rui Pinto é também suspeito de ter roubado documentos privados da Doyen, empresa liderada pelo português Nélio Lucas, e do Sporting.

Situação de Paulo Gonçalves

Varandas Fernandes comentou ainda a situação do diretor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves como arguido no processo e-toupeira. O dirigente sublinhou que se trata de uma "questão pessoal". Contudo, teceu rasgados elogios ao profissionalismo do funcionário do Benfica adiantando que cabe à justiça o apuramento da verdade.

"O Paulo Gonçalves é funcionário do Benfica. Reconhecemos competência, dedicação e profissionalismo. Tem sido um profissional que tem estes três atributos. É uma questão pessoal e reservo-me o direito de não comentar questões pessoais. É um grande profissional", salientou, acrescentando: "Cabe à justiça apurar a justiça os factos".

Em relação à punição do jogo à porta fechada imposta pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) pelo apoio a claques ilegais, Varandas Fernandes garante que o 'Benfica vai tentar contrariar essa decisão "com provas e factos". Manifestou ainda o apoio ao grupos organizados.

Benfica pode vir a ter mais jogos a porta fechada. Setúbal, Guimarães e Feirense também arriscam castigo
Benfica pode vir a ter mais jogos a porta fechada. Setúbal, Guimarães e Feirense também arriscam castigo
Ver artigo

"Jogo à porta fechada? Vamos contrariar com provas e com factos. Em relação ao jogo do Estoril, na nossa opinião não faz sentido. O Benfica alertou as autoridades para as claques não estarem naquele sítio. E nós alertamos mais do que uma vez. Há que tirar conclusões".

Apoio às claques

"As claques são um grupo de adeptos organizados que muito nos honra. São sócios que têm cartão e que pagam as suas cotas. Não somos a favor da violência. Nós reprovamos a violência no Desporto. Às vezes acontecem situações que não temos controlo. Nós no Benfica estamos gratos aos sócios que se sacrificam pelo Benfica".

Francisco J. Marques reagiu à noticia da revista Sábado

O diretor de comunicação do F.C. Porto, Francisco José Marques, reagiu ontem à noite nas redes sociais à notícia da revista Sábado sobre o alegado 'hacker' que acedeu e roubou correspondência electrónica do Benfica.

"Não sei se o Rui Pinto é o hacker ou não. Sei que o F.C. Porto não pagou e sei que os emails existem e são verdadeiros. As autoridades sabem desde a primeira hora como tive acesso à informação que permitiu, por exemplo, descobrir os corruptos que andavam a violar o sistema judicial", escreveu o dirigente portista na sua conta pessoal do Twitter.

Envolvimento de Sporting e FC Porto

Questionado sobre o possível envolvimento do FC Porto e do Sporting na divulgação dos 'e-mails' roubados ao Benfica, Varandas Fernandes deixou a seguinte questão no ar. Acha normal FC Porto e Sporting não saberem nada sobre os blogs que divulgaram as informações? Um blog afeto ao FC Porto e outro afeto ao Sporting são os que têm divulgado as informações. Acha normal que esses clubes não sabiam do que se passava? É uma pergunta que deixo em aberto", questionou.

"Alguém acredita que se passa algo no Benfica e não temos conhecimento? Não fazemos análise? Não refletimos? Não tentamos decidir? Quem tem de investigar são as autoridades competentes. O Benfica cumpriu com o seu dever. Lemos tudo e estamos atentos. Se as notícias veiculadas aparecem em blogs afetos a FC Porto e Sporting, deixo a consideração [dos jornalistas] as conclusões que quiserem tirar", concluiu.

A revista 'Sábado' tem sido o principal órgão a divulgar as informações contidas nos 'e-mails' roubados ao Benfica. Varandas Fernandes acredita que, com a divulgação do 'hacker' que roubou tais informações, essa divulgação irá abrandar. O dirigente deixa para as autoridades investigar se há alguma relação entre o FC Porto e o Sporting com os blogs que também têm divulgado parte dos 'e-mails'.

"Se vai haver mais divulgação de e-mails ou não, desconheço. Era natural que houvesse menos divulgação após a as divulgações da revista 'Sábado', era natural que haja um abrandamento de divulgação de e-mails mas o que vai acontecer daqui para a frente, não sei, não tenho uma 'bola de cristal'. Sei que as autoridades vão investigar como têm sempre feito e saber qual a relação que existe ou não e em que modos existe [entre os blogs que divulgaram a informação dos e-mails e o FC Porto e o Sporting]", explicou.

Castigos ao Benfica no auge do 'e-toupeira'

Foi no auge do processo 'e-toupeira', nascido do 'caso dos e-mails', que o Benfica começou a ver o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol tomar algumas decisões relativas às claques do Benfica, com a instauração de vários processos que resultaram em três condenações de jogos a porta fechada. Algo que inquieta o Benfica.

"Desconfiar todos são legítimos, temos a liberdade de pensar, de clarificar e desconfiar e dessa desconfiança só se prova com a entrada das autoridades competentes. O Benfica não tem argumentos para desconfiar ou deixar de desconfiar dos castigos mas estamos preocupados com o que é publicado pela revista 'Sábado'", disse o vice-presidente do Benfica.

Porquê não legalizar as claques?

Questionado sobre o porquê de o Benfica não legalizar as claques como os outros clubes, o dirigente 'encarnado' lembrou há casos de claques organizadas que cometeram atos considerados ilícitos e que, até agora, não houve qualquer decisão.

"O Benfica sempre se pautou por um reforço muito significativo na área da segurança, sempre que há um comportamento errático dos nossos adeptos, é sempre responsabilidade do Benfica. O problema das claques é um problema nacional. Há clubes com claques registadas e nada lhes acontece. Claques que invadiram um centro de estágios e outros que invadiram o centro de treinos dos árbitros na Maia e nada lhes acontece. O Benfica sempre se disponibilizou tudo o material para as autoridades apreciarem e analisarem e decidirem. Estamos de consciência livre e tranquila sobre essa matéria [das claques ilegais]", explicou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.