O presidente do Sporting, Frederico Varandas, salientou hoje a obrigação de os clubes portugueses venderem futebolistas para ocasionarem receita e seguirem competitivos nas provas europeias, na conferência Thinking Football, no Porto.

“Neste momento, como o sistema do futebol está montado, não temos outra hipótese de competir com os cinco principais campeonatos europeus se não vendermos jogadores. É uma obrigação. Com mérito, houve equipas nacionais a passar a fase de grupos da Liga dos Campeões. É difícil o adepto entender certas coisas, mas no dia em que os ‘grandes’ deixarem de vender, não terão hipóteses de andar na ‘Champions’”, advertiu o dirigente, num painel sobre a “aposta na formação” e a “sustentabilidade financeira” dos lisboetas.

Designando o Sporting como uma “missão” desde que foi eleito, em setembro de 2018, Frederico Varandas priorizou “investimento” na “academia de Alcochete, no Estádio José Alvalade, na transformação digital e no crescimento da marca” para sustentar os ‘leões’.

“Em outros campeonatos, a formação pode ser um gosto, um prazer ou uma opção. Para nós, é uma questão de sobrevivência e por isso somos muito bons nisto. Os clubes que não forem bons a formar não vão andar na ‘Champions’. Aquilo que nos faz resistir num país mais afastado da União Europeia é produzirmos e vendermos jogadores”, agregou.

Os vice-campeões nacionais já abasteceram o plantel principal com “67 atletas” oriundos da academia, que completou 20 anos em junho, sendo que 22 foram projetados a nível sénior durante “os últimos quatro anos”, suportando uma “realidade que é para manter”.

“Os títulos que vencemos são a prova de que este caminho nos leva às vitórias. É muito importante que assim seja, porque há muitos chavões de que o Sporting tem de investir. Investimos garantindo a sua sustentabilidade para o futuro, sem que isso nos impeça de ganhar. Estes quatro anos foram os melhores das últimas largas épocas do Sporting em termos de títulos. O modelo é sustentável, mas também vencedor”, notou, num mandato elevado pela conquista em 2020/21 do 19.º título de campeão nacional, 19 anos depois.

Reconduzido em 06 de março, com 85,8% dos votos, à frente de Ricardo Oliveira e Nuno Sousa, Frederico Varandas, de 43 anos, classificou como “maior bandeira do Sporting” o capitão da seleção nacional Cristiano Ronaldo, formado em Alcochete (1997-2001), que debutou pelos seniores (2001-2003) antes de rumar aos ingleses do Manchester United.

“É o nome da academia e é um dos orgulhos do Sporting e dos sportinguistas. A criação desta academia foi um passo fundamental para a formação em Portugal, mas a formação do Sporting começou antes e é pioneira. Dos quatro melhores do mundo, como Cristiano Ronaldo, Luís Figo, Eusébio e Paulo Futre, três formaram-se no Sporting”, exemplificou.

A cimeira Thinking Football decorre entre sexta-feira e domingo, no Pavilhão Rosa Mota, no Porto, sob inédita organização da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.