Luís Filipe Vieira assumiu esta segunda-feira as culpas pelo mau momento do Benfica, que hoje perdeu diante do Marítimo e ficou ainda mais longe do título. Depois de confirmar que Bruno Lage colocou o lugar à disposição, o presidente dos 'encarnados' deixou a porta aberta à saída do clube.

"Enquanto estive no Benfica nunca verguei a nada e em Lisboa, quando chegar, espero não vergar. Mas até lá muito se vai passar, tenho de falar com a minha família", começou por dizer Vieira na sala de imprensa.

"Não vale a pena esconder, o único culpado sou eu. Só foi possível chegar aqui porque estivemos estabilidade. Para conquistarmos um 'bi' estivemos 31 anos, para conquistarmos um 'tri' estivemos 39 anos e para conquistar um 'tetra', que nunca o fizemos, fizemos agora. É algo que só se faz com muito amor, muita paixão, muito profissionalismo, muita determinação e dando tudo de nós próprios em prol do Benfica. Aqueles que se vergam perante uma derrota, devo dizer que nunca me verguei a nada", acrescentou.

Luís Filipe Vieira apontou que o que “acabou com o Benfica em 2000 não foi uma pandemia, mas os benfiquistas” e espera que o clube lisboeta não deixe perder o progresso feito desde então.

"Acreditem que é mesmo com um profundo sentimento de benfiquista que digo: não deixem voltar um pouco do passado porque fomos nós todos que demos cabo do Benfica e fazer o que fizemos ao longo destes 20 anos é muito difícil, tanto em termos de estruturas, em termos desportivos, como em termos financeiros. Tudo tenho dito aos benfiquistas e hoje volto a dizê-lo de cara bem lavada: sou o único culpado, não há aqui mais culpados", vincou Vieira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.