Vítor Pereira argumentou o cansaço da vitória em Viena para a Liga Europa como explicação para a actuação mais apagada do FC Porto.

"Tivemos uma primeira parte bem conseguida, frente a uma equipa que praticamente abdicou de atacar. Fizemos 15 remates à baliza, o suficiente para vencer ao intervalo. Depois do esforço de Viena, mais a viagem, é compreensível que na segunda parte se sentisse alguma dificuldade do ponto de vista físico. E quando assim é, começamos a pensar mal o jogo", adiantou o adjunto de André Villas-Boas, que por estar castigado não se pôde sentar no banco de suplente e comparecer na flash interview.

Face às críticas de Manuel Fernandes ao árbitro Elmano Santos, Vítor Pereira não quis fazer comentários: "Não digo nada sobre o árbitro. Aquilo que tenho de enaltecer é o espírito de sacrifício. Os campeões fazem-se assim. São oito pontos de vantagem sobre o rival mais directo, que lhe vão retirando confiança. É natural termos alguns jogos mais bem conseguidos, e outros menos conseguidos. Pagámos a factura de um jogo tremendo que fizemos em Viena." 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.