Três meses depois, o Vitória de Guimarães voltou a ganhar em casa na Liga de futebol, batendo este sábado o Marítimo, por 2-0, com golos de Rui Miguel e Renan, em jogo da 27.ª jornada da Liga de futebol.

A equipa minhota não vencia no “D. Afonso Henriques” desde 15 de Janeiro (triunfo sobre o Olhanense, na 16ª jornada), interrompeu uma série negativa de quatro derrotas e dois empates e instalou-se, provisoriamente, na quinta posição à espera do resultado do jogo entre Nacional e Sporting de Braga, que se realiza segunda-feira.

O triunfo vitoriano ajusta-se perfeitamente ao que se desenrolou em campo, ainda que o Marítimo tenha desperdiçado uma grande penalidade, aos 52 minutos, por Baba, com o resultado ainda em 0-0.

Logo a seguir (55), Rui Miguel “desatou” o nó, aproveitando – depois de ajeitar com o braço – uma confusão na pequena área insular e, aos 85 minutos, Renan confirmou a vitória.

A primeira parte foi de fraca qualidade, com ascendente da equipa da casa que dispôs das melhores oportunidades para marcar neste período.
Baba, de cabeça e em grande estilo, ainda assustou Nilson (17), mas mais flagrante foi a ocasião perdida por Edgar (25) que, isolado perante Marcelo, falhou um chapéu sobre o guarda-redes brasileiro.

Ainda antes do intervalo (43), Toscano, em excelente posição depois de assistência de Faouzi, rematou muito por cima.

A segunda parte começou com Djalma a semear perigo pela direita (49) e dois minutos depois Kléber, pela mesma ala, foi derrubado por Bruno Teles na grande área. Vasco Santos assinalou a respectiva grande penalidade, mas Baba desperdiçou-a rematando à trave.

Não marcou o Marítimo, marcou o Vitória de Guimarães logo a seguir (55): aproveitando da melhor maneira a cerimónia da defesa insular, após um livre de Toscano ter embatido na barreira, Rui Miguel “fuzilou” as redes contrárias.

O Marítimo tentou partir para o empate e, aos 64 minutos, Benachour, na cobrança de um livre, levou perigo à baliza vitoriana (64), lance que teve resposta imediata de Rui Miguel (65), mas o remate saiu ao lado.

Pouco depois (68), João Paulo cortou de forma providencial um centro de Briguel, tirando o golo quase certo de Kléber, mas o Vitória podia ter aumentado dois minutos depois: Toscano fugiu pela direita, Faouzi assistiu Renan que, vindo de trás, rematou ao lado.

Edgar voltou a ter um falhanço incrível na cara de Marcelo (83), mas Renan tranquilizou as hostes vitorianas ao fazer o segundo, após grande assistência de Toscano (85).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.