O título desta crónica não foi idealizado com o objetivo de provocar os adeptos do Benfica, que joga amanhã em casa com o Vitória de Guimarães, mas sim a pensar no que Jorge Jesus disse, esta sexta-feira, em conferência de imprensa.

Na sequência do que Vítor Pereira revelou, ao dizer que não tinha tempo para assistir os encontros do rival lisboeta, o técnico do Benfica respondeu que assiste a todos os jogos das equipas adversárias. E se esteve atento, esta noite, ao que aconteceu no Estádio do Dragão, Jorge Jesus viu escapar a oportunidade de passar o FC Porto na tabela classificativa da I Liga, mesmo que vença a formação vimaranense.

A história da primeira parte resume-se a uma protagonista algo inesperada neste encontro de abertura da quarta jornada da I Liga, e dá pelo nome de trave.

O FC Porto não conseguiu colocar a bola dentro da baliza de Diego no primeiro tempo mas conseguiu a proeza de enviar três bolas à trave da baliza da equipa adversária. Souza foi o primeiro a estrear o ferro, seguido do cabeceamento de Rolando e finalizado pelo remate de Kléber, após excelente passe do jovem colombiano James Rodríguez, que manteve a titularidade para este encontro depois da grande exibição na Marinha Grande.

Os primeiros quarenta e cinco minutos valeram pelos últimos instantes, onde o FC Porto se apresentou mais acutilante, sabendo talvez que um golo nessa altura poderia ser decisivo para o resultado final.

Os primeiros minutos do segundo tempo pareciam levar para um jogo monótono mas o golo de João Moutinho, ao minuto 53, aqueceu as bancadas do Dragão. O médio internacional rematou rasteiro fora da área, bem colocado, e Diego, que bem se esticou, não conseguiu impedir o primeiro para os portistas.

Antes do primeiro golo do encontro, já João Moutinho, que entrou na segunda parte para o lugar do brasileiro Souza, tinha dado provas que estava em campo para conseguir os três pontos, ao fazer um belo passe para o belga Defour cabecear para a defesa do guardião dos sadinos.

O FC Porto continuava a dominar na segunda parte e James só fez o resto, ao marcar um bonito golo ao minuto 75, após passe de calcanhar de Hulk, que tinha entrado para ocupar o lugar de Kléber. Já perto do minuto 90, Fernando Belluschi marcou o terceiro, sentenciando a partida, com um golo semelhante ao seu colega João Moutinho.

Com esta vitória, o FC Porto continua na frente com 12 pontos e nem as vitórias de Benfica e Braga valerão para ultrapassar o atual campeão português nesta quarta jornada.

Os Dragões jogam já na próxima terça-feira, dia que marca o regresso da formação nortenha à Liga dos Campeões, frente aos ucranianos do Shakhtar Donetsk, no Estádio do Dragão, referente à primeira jornada do Grupo G.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.