Pepe é um dos convidados que marca presença na Web Summit 2020, este ano a decorrer de forma virtual. Numa palestra sobre liderança, o central do FC Porto falou da dificuldade em colocar todos numa equipa a pensar da mesma forma. O internacional português passou a ser o capitão dos 'dragões' após a saída de Danilo para o PSG.

"O verdadeiro desafio do capitão é tentar que os seus companheiros 'comprem a ideia' do que é o clube, do que é a mentalidade do treinador. É a ligação mais próxima ao querer ganhar. Fazer com que 25 jogadores tenham o objetivo de ganhar sempre e ajudar os que estão dentro de campo, manter todos motivados é o grande desafio do capitão", comentou.

Durante a sessão "Liderando de trás" da Web Summit 2020, que decorre em formato ‘online', de hoje até sexta-feira, o defesa central do emblema ‘azul e branco', com o qual renovou há um mês por mais duas épocas, até junho de 2023, e da seleção nacional realçou que sempre teve a vontade de "melhorar" e de ultrapassar "todos os desafios" numa carreira profissional que começou, a nível europeu, em 2001, no Marítimo.

"Fui sempre curioso ao ponto de perguntar aos meus treinadores e aos meus companheiros como poderia evoluir (...). Essa busca da perfeição permite-me estar hoje com 37 anos e renovar com o FC Porto por mais dois anos. Muito desse trabalho que fiz no início da carreira continuo a fazer até hoje", disse.

Para o defesa luso-brasileiro, o futebol era "muito simples" quando jogava pelo conjunto do Funchal, entre 2001 e 2004, e tornou-se mais exigente durante a primeira passagem pelo FC Porto, entre 2004 e 2007, quer pelos objetivos do novo clube, mas também pela introdução das tecnologias de apoio à recuperação dos atletas.

"Estávamos naquela transição do que era a tecnologia, do que era recuperar rápido. Vim para o FC Porto e o nível era alto. A minha dedicação ao futebol tinha de ser a máxima. Procurei sempre saber o que poderia melhorar depois de um jogo, até para saber como recuperar para o jogo seguinte", realçou Pepe, que, nesse período, venceu duas edições da I Liga portuguesa, uma Taça de Portugal e duas Supertaças.

Na mesma palestra, o central de 37 anos falou da evolução no futebol e recordou os tempos em que ainda tomava banhos de recuperação, de madrugada, após os jogos no Real Madrid, na companhia de Cristiano Ronaldo.

"Procurei sempre onde poderia melhorar depois de um jogo, a nível de recuperação para o jogo seguinte. Lembro-me de estar com o Cristiano [Ronaldo] no Real Madrid e chegávamos às duas da manhã e íamos fazer água fria. Hoje são as máquinas de frio que ajudam na recuperação", lembrou.

Um dos temas abordados foi a forma como o FC Porto recuperou no final da época passada até chegar ao título, depois da paragem do campeonato em março devido a COVID-19.

"Mesmo confinados, fazíamos videoconferências e cada um dava a sua opinião e era bem aceite. Isso fez com que tivéssemos outra visão do futebol naquele momento. As circunstâncias faziam com que houvesse mais companheirismo e nos superássemos, ainda por cima sem adeptos. Além disso, houve aquilo que o treinador nos passou, até porque os exercícios com o nosso 'mister' não são fáceis", disse Pepe, antes de confidenciar.

"O Sérgio é um exemplo e compartilho muito das suas ideias".

Vencedor do Europeu de 2016 e da Liga das Nações de 2019, Pepe disse ainda que "custa digerir" a eliminação da próxima fase final da Liga das Nações, mas lembrou que Portugal é hoje "uma seleção de referência", pronta para tentar revalidar o título europeu em 2021, mesmo reconhecendo que "vai ser muito difícil".

A Web Summit, considerada uma das maiores cimeiras tecnológicas do mundo, realiza-se este ano totalmente 'online' com "um público estimado de 100 mil" pessoas, depois de se ter começado a realizar em Lisboa, em 2016.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.