Num Estádio de Alvalade praticamente cheio e com contas para ajustar com o SC Braga, perdida que está a possível ida para a Liga dos Campeões, o Sporting entrou decidido.

Com muita vontade e uma atitude dominadora, a equipa de Ricardo Sá Pinto rapidamente encostou o adversário ao seu reduto e dificilmente este dali conseguiu sair. As oportunidades iam surgindo mas quer um atento Quim como uma defesa bracarense assertiva foram adiando o golo inaugural.

Este acabou por surgir aos 34 minutos e muito por culpa de Ruben Amorim. O médio demorou a tirar a bola da sua área e acabou por cortar contra um jogador do Sporting. No ressalto a bola sobrou para Wolfswinkel que, sem contemplações, fez o primeiro da partida. Um golo que só pecava por tardio face ao caudal ofensivo dos leões.

O intervalo em nada mudou o curso da partida. Quim continua a ser um dos jogadores mais interventivos, principalmente pelos múltiplos cruzamentos venenosos que travou junto da sua área.

Leonardo Jardim decidiu que era preciso fazer algo e corrigiu uma opção inicial que havia tomado. Aos 55 minutos, Imorou saiu para entrar Hélder Barbosa. E o português fez, dois minutos depois aquilo, que nenhum dos seus colegas tinha conseguido.

Hélder Barbosa marcou para o SC Braga e empatou o encontro no Estádio de Alvalade. O jogo estava mais vivo e mais aberto.

Pouco depois, Schaars efetuou um bom trabalho na ala direita e rematou para defesa de Quim. Wolfswinkel estava no sítio certo, como se pede a um ponta de lança, para encostar para o segundo golo dos leões.

Nos minutos seguintes foi tempo de surgir um maior protagonista: Quim. Com o selecionador Paulo Bento na bancada, o guarda-redes mostrou serviço e com três grandes defesas evitou o golo a Wolfswinkel, por duas vezes, e a Insúa.

Mas aos 84 minutos, o guardião não conseguiu parar novo remate do endiabrado holandês. Wolfswinkel rematou cruzado, a bola ressaltou num defesa, e acabou no fundo das redes. O resultado subia para 3-1.

Engana-se quem pensasse que o jogo estava arrumado. Houve tempo ainda para Lima deixar a sua marca de penalti (3-2) e relançar o jogo.

Os minutos finais foram intensos, contudo não se assistiu a mais golos. Nota para a saída de Rui Patrício já perto do apito final por troca com Tiago. Facto que poderá ter marcado a despedida não só de Tiago, que deverá terminar a sua carreira, assim como a de Rui Patrício, que está de saída de Alvalade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.