O presidente do Gil Vicente pediu hoje, à margem da Assembleia-Geral da Liga de clubes, "verdade desportiva e o fim da impunidade dos clubes que não cumprem os critérios" para competir na I Liga de futebol.

António Fiúza esclareceu que encontrou irregularidades em candidaturas de clubes para a I Liga e prometeu levar o caso até aos extremos para lutar contra as injustiças e as dualidades de critérios.

"O Gil Vicente não está contra ninguém. Apenas quer a verdade desportiva. Há clubes que já estão em impunidade há muitos anos. Pedimos ao presidente da Liga para irmos verificar algumas candidaturas, encontrámos irregularidades nessas candidaturas e falámos com o presidente da Liga. Agora vai reunir a comissão de inquéritos que esteve a analisar essas candidaturas", começou por esclareceu o dirigente do clube de Barcelos.

O dirigente anunciou ainda que o Gil Vicente enviou "um recurso para o Conselho de Justiça".

"Só espero que seja célere a resolver este caso e que não seja como no caso Mateus, que se andou a arrastar e que, a dois dias de começar os campeonatos, decidiu contra o Gil Vicente", lembrou ainda.

António Fiúza, que mantém a esperança de que o Gil Vicente regresse à I Liga em virtude desta situação, reforçou que apenas quer "igualdade de critérios, verdade desportiva e isenção neste processo".

"O presidente da Liga tem uma oportunidade única de ficar como o presidente que quer a verdade desportiva, que não quer o tráfico de influências, que não quer a batota. Basta de impunidade, porque temos que dar credibilidade ao futebol em todas as vertentes", finalizou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.