O presidente do Desportivo de Chaves afirmou hoje à agência Lusa não ter recebido qualquer notificação do Ministério Público ou Polícia Judiciária (PJ) sobre alegados subornos a futebolistas de equipas adversárias para ganhar jogos.

Bruno Carvalho «repudia firmemente» as suspeitas que recaem sobre o clube, envolvendo-o num alegado esquema de corrupção com jogadores de equipas adversárias para facilitar a subida à II Liga.

A notícia, avançada hoje pelo jornal Correio da Manhã, refere que o alegado suborno envolve jogadores do Amarante, Gondomar e Limianos.

«Trata-se de mais uma tentativa de perturbação da atividade do clube como outras que ao longo do final da época passada foram feitas por alguns adversários que, a todo o custo, pretenderam evitar o sucesso deste projeto», avançou o responsável em comunicado.

O trabalho de preparação da próxima época desportiva, segundo o dirigente, continuará com «toda a serenidade e concentração».

«Vamos procurar representar Trás-os-Montes e todos os transmontanos nas competições desportivas de futebol profissional da forma mais digna e séria possível», terminou.

O Desportivo de Chaves garantiu esta época a subida à II Liga e conquistou o título de campeão da II divisão de futebol, sob o comando técnico do agora ex-treinador João Pinto.

O emblema flaviense conta com 13 presenças no campeonato principal, dez na II Liga e uma presença na final da Taça de Portugal, para além da participação numa edição da Taça UEFA.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.