O presidente da Câmara de Chaves vai atribuir ao Desportivo de Chaves, no dia da cidade, 08 de julho, uma medalha de mérito pela subida à II Liga e pelo título de campeão da II divisão de futebol.
Na receção feita hoje nos Paços do Concelho, onde se concentraram adeptos com bandeiras e cachecóis ao grito de «campeões, nós somos campeões», João Batista considerou que o clube é um «grande motivo de orgulho e um símbolo» para a cidade e para a região de Trás-os-Montes.
Sócio do emblema "azul-grená" desde 1978 e presença assídua nos jogos, o autarca agradeceu o esforço, empenho e trabalho dos atletas, equipa técnica e direção na conquista de um troféu "inédito" no historial do clube.
João Batista acredita que o Desportivo de Chaves será uma «porta aberta» para levar o nome da cidade «mais longe».
Estando a competir na II Liga, as exigências são maiores, pelo que o edil garantiu que, nos próximos dias, o relvado será substituído, ao fim de 30 anos, num investimento de 150 mil euros.
O presidente da câmara acrescentou que a autarquia «sempre» apoiou o clube com a atribuição de subsídios às camadas jovens, pagamento da luz, manutenção do estádio e, em fevereiro, financiou a remodelação do campo de treinos, dotando-o de relva sintética.
Na próxima época, o presidente da câmara considerou que, mais do que pensar na subida à I Liga, é preciso «consolidar o clube do ponto de vista desportivo e financeiro para ser sustentável no escalão em que está».
«Se o clube tiver alicerces fortes é meio caminho andado para aspirar a altos voos», frisou.
Visivelmente emocionado, o presidente da Comissão Administrativa do Chaves, Bruno Carvalho, disse que este ano ficará «para sempre» na memória dos flavienses, porque, depois de 64 anos, conquistou o primeiro título nacional.
Quando assumiu a direção da equipa, em 2001, Bruno Carvalho revelou ter traçado três objetivos, que agora foram cumpridos: investimento na formação, tornar o clube autossustentável e ter uma equipa competitiva.
O sucesso, disse, fez-se de «garra, determinação e muita confiança».
Na próxima época, na sua opinião, a responsabilidade é «enorme» porque é «difícil subir de divisão, mas é muito fácil descer».
«O objetivo é a manutenção na II Liga, mas tudo é possível, e temos aspirações à I Liga, mas não vamos dar passos maiores do que as pernas», frisou.
Bruno Carvalho revelou que, além do relvado, serão feitas obras nos balneários, exigidas pela Federação Portuguesa de Futebol.
Com o pressentimento de que seria um «bom» ano, o capitão do Desportivo de Chaves, João Fernandes, garantiu que a receita para chegar ao sucesso foi a «união e esforço» dos jogadores e a «mística vencedora» do treinador, João Pinto. «Estou muito feliz. A cidade merecia esta conquista», terminou.
O jogador, que enalteceu o “ótimo” trabalho do técnico, falava antes de João Pinto ter revelado que não iria continuar no cargo na próxima, depois de ter sido informado pela direção.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.