No Estádio Cidade de Barcelos, os flavienses foram eficazes nas poucas vezes que desceram à área adversária, enquanto os barcelenses, que já não vencem em casa há três meses (3-0 ao Covilhã a 30 de Agosto), continuam a evidenciar uma falta de eficácia preocupante.

Apesar da eficácia, apenas na segunda parte é que a equipa visitante acabou por construir o resultado, com tentos de Carlos Pinto (61 minutos), Castanheira (74), na conversão de uma grande penalidade, e Cássio (92).

Os barcelenses, a atravessarem dificuldades devido ao surto de gripe que assola o plantel, estiveram bem e adaptaram-se melhor às condições do terreno, enquanto, perante o maior caudal ofensivo dos locais, os transmontanos responderam com uma defesa coesa e eficaz.

Na segunda parte, a equipa de Barcelos apareceu mais determinada e, aos 51 minutos, poderia ter chegado à vantagem, se Rui Pedro não tivesse desperdiçado uma grande penalidade a castigar um pretenso derrube na área a Alexandre Camargo.

Os avançados do Gil Vicente continuavam a evidenciar ineficácia na concretização e o Desportivo de Chaves, que aguentou o ímpeto do adversário, acabou por ser beneficiado pela sorte ao adiantar-se no marcador aos 61 minutos.

Carlos Pinto, na esquerda, tentou fazer um cruzamento e a bola, tabelando num jogador gilista, entrou na baliza traindo Márcio Ramos.

Os donos da casa reagiram mas foram os forasteiros a dilatar a vantagem. Aos 74 minutos Bura derrubou Diop dentro da área e originou a grande penalidade que Castanheira transformou no segundo golo. No lance o árbitro exibiu o cartão vermelho directo ao defesa central.

Com menos uma unidade, o Gil Vicente tentou tudo para evitar a derrota, mas o Desportivo de Chaves soube controlar as investidas e acabou por conseguir o terceiro golo em tempo de compensação, obtido pelo recém-entrado Cássio.

O médico do Gil Vicente, José Albino, declarou que o estado clínico da equipa é "catastrófico", já que existem oito jogadores com sintomas gripais.

Hugo Marques, Rodrigo Galo, Sandro e João Martins ficaram em casa devidamente medicados. Bruno Madeira e Paulo Arantes também foram medicados e ainda actuaram, bem como João Cardoso, que esteve no banco dos suplentes.

Perante este panorama o técnico Rui Quinta teve que se socorrer dos juniores Flávio, guarda-redes, e Zé Luís.

Jogo no Estádio Cidade de Barcelos .

Gil Vicente - Desportivo de Chaves, 0-3.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

0-1, Carlos Pinto, 61 minutos.

0-2, Castanheira, 74 (gp).

0-3, Cássio, 90+2.

Equipas:

- Gil Vicente: Márcio Ramos, Paulo Arantes, Bura, Kiko, Filipe Pires (Zé Luís, 79), Bruno Madeira, Alhandra (Dany, 63), Duarte (Cesinha, 70), Alexandre Camargo, Alexandre Matão e Rui Pedro.

(Suplentes: Flávio, João Cardoso, Diogo Santos, Cesinha, Dany, Tiago André e Zé Luís).

- Desportivo de Chaves: Rui Rêgo, Danilo, Lameirão, Ricardo Rocha, Eduardo, Siaka Bamba, Bruno Magalhães, Castanheira, Carlos Pinto (João Fernandes, 72), Clemente (Cássio, 90+1) e Diop.

(Suplentes: Daniel Casaleiro, Flávio Igor, Samson, Vítor Pereira, Cássio e João Fernandes).

Árbitro: João Capela, de Lisboa.

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Filipe Pires (32) e Paulo Arantes (68). Cartão vermelho directo para Bura (74).

Assistência: cerca de 1000 espectadores.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.