Depois de ter tomado conhecimento da decisão da Liga em decretar a subida de Nacional e Farense à I Liga e as descidas de Casa Pia e Cova da Piedade ao Campeonato de Portugal, o avançado internacional português Edinho, que atualmente representa o conjunto da margem sul do Tejo, criticou duramente os dirigentes do futebol português.

Edinho aponta o dedo ao facto de os futebolistas não terem nunca sido escutados antes desta tomada de decisão. "Sinceramente não me surpreende. Primeiro porque os jogadores não foram ouvidos em nenhuma das vezes. Somos os protagonistas, somos talvez as pessoas que mais sofremos com isto e a nossa profissão e família depende disto", sublinhou em declarações à Sport TV.

O ponta-de-lança, que conta com quase 200 jogos disputados no escalão principal do futebol português, questionou o porquê de a II Liga não ser retomada, se tal irá acontecer com a outra competição profissional do futebol português, a I Liga. "Se a O Liga vai retomar, poderia haver condições para jogar a II Liga também. Não há profissionais de primeira e segunda. Temos os mesmos direitos de igualdade e oportunidades e isso não aconteceu. Estou aqui a representar todos os meus colegas da 2.ª Liga. Temos um grupo e temos estado em contacto. Todos mostrámos desde o início que se houvesse condições para o fazer, estávamos dispostos a jogar", frisou.

Edinho termina concluindo que tudo passa por questões financeiras. "A verdade é que a maior parte dos dirigentes não o quis, porque está tudo envolto na questão financeira. Essa é que é a verdade desportiva que temos de realmente ver. É tudo uma questão financeira", acusou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.