O golo acabou por premiar a equipa que menos fez para desfazer o 0-0, e que agora se aproxima do topo da tabela, e deixou um sabor amargo no Aves, que esteve perto de marcar por várias vezes e viu uma bola devolvida pelo poste.

O encontro que colocou frente a frente os “reis” dos empates da Liga, já que o Desportivo das Aves soma oito e o Estoril sete, começou morno e sem grandes situações de perigo para qualquer das balizas.

O Estoril, aos 10 minutos, esboçou a primeira tentativa de remate por Erick, na sequência de um canto cobrado por Lulinha, mas o remate saiu por cima e sem perigo para a baliza defendida por Hugo Ferreira.

O Desportivo da Aves respondeu quase de seguida com uma boa solicitação de Pedro Pereira para João Silva, que não conseguiu desviar a bola para a baliza do Estoril, indo “morrer” nas mãos de Paulo Santos.

O encontro passou, em seguida, por um vazio de ideias e bolas fora, até aos 28 minutos, quando Jardel se antecipa a Luisinho, já dentro da área do Estoril, quando o jogador do Aves de preparava para “encher” o pé.

O lance teve o condão de despertar as duas equipas, até então a praticar um futebol algo trapalhão, quezilento e sem profundidade, que – ainda antes do intervalo – podiam ter chegado ao golo.

Lulinha, aos 30 minutos, proporciona ao avense Hugo Ferreira a sua primeira defesa, e Pedro Pereira, aos 39, cabeceou com os pés no chão na área do Estoril, mas para as mãos do guarda-redes Paulo Santos.

A segunda parte principiou com o Aves a dispor de uma ocasião para marcar, mas o cabeceamento do “capitão” Sérgio Nunes, na sequência de um livre de André Carvalho, foi devolvido pela base do poste da baliza do Estoril.

O Aves voltou a criar perigo por Uederson, aos 64 minutos, com um remate enrolado à entrada da área, e aos 65 foi a vez da bola atravessar toda a área do Estoril sem que ninguém tenha conseguido o desvio.

A sombra do golo voltou a pairar sobre a área do Estoril aos 76 minutos, mas, uma vez mais, a sorte não esteve pelo lado do “capitão” Sérgio Nunes, que viu a bola caprichosamente a não passar a linha.

Perto do final do jogo, as situações de perigo rondaram ambas as balizas, principalmente através da marcação de cantos, e o Estoril acabou marcar por Erick (0-1), aos 94 minutos, após centro rasteiro de Lulinha.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.