Diante de um dos mais sérios candidatos à subida, os ribatejanos mostraram grande acerto ao longo de todo o jogo.

O mesmo não se pode dizer do Trofense, que, apesar do bom futebol exibido, nos momentos decisivos falhou.

Nuno Sousa abriu o marcador, logo aos 16 minutos, através de um remate, fora da área, forte e colocado.

O Trofense respondeu e Filipe Gonçalves, também de meia distância, igualou à passagem da meia hora.

A igualdade ao intervalo traduzia um jogo de boa qualidade e de grande equilíbrio, apesar de modelos de jogo antagónicos. O CD Fátima voltou a apostar no ataque rápido enquanto que o Trofense mostrava um futebol mais apoiado.

O Trofense entrou melhor no segundo tempo e empurrou o Fátima para o seu meio campo. A falta de pontaria dos avançados e a exibição de Nené foram adiando o golo.

Melhor pontaria teve Veríssimo ao desviar, de cabeça, para o fundo das redes um livre apontado por André Carvalhas. Coincidente com o momento da primeira substituição de Vítor Oliveira, falhou a marcação ao central ribatejano.

O golo foi o prémio merecido para uma equipa que, apesar de pressionada, nunca se desorganizou e soube aproveitar as oportunidades criadas.

O Trofense sentiu o golo e não conseguiu voltar ao nível exibicional que antecedeu o golo.

O CD Fátima somou os primeiros pontos na Liga de Honra num jogo de elevada qualidade e disputado perante uma assistência numerosa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.