O pacense Melgarejo fez o 1-0, aos seis minutos, mas o Gil Vicente respondeu e deu a volta ao resultado com tentos de Laionel, aos 45, e Cláudio, de grande penalidade, aos 57, alcançando o segundo triunfo para a Liga em nove encontros disputados na Mata Real.

No Paços de Ferreira, Nuno Santos regressou ao “onze”, por troca com o castigado Manuel José, e ocupou o lado esquerdo do ataque, à frente de Luisinho, recuando Filipe Anunciação, no lado contrário, para defesa direito, enquanto Éder e Richard foram as novidades no Gil Vicente, em substituição de Daniel e Luís Manuel.

Os locais tiveram uma entrada fulgurante no jogo, revelando boa dinâmica nas transições ofensivas e pressionado o homem da bola, e chegaram com naturalidade à vantagem, conseguida com um remate rasteiro e colocado do paraguaio Melgarejo, após centro de Josué da direita.

Ao início prometedor dos pacenses seguiu-se um inexplicável recuo da equipa, permitindo que os gilistas, até aí manietados, começassem a ter mais bola e se acercassem da baliza de Cássio, com destaque para as ações de André Cunha, um dos melhores em campo, e Luís Carlos.

Em contra-ataque e contra a corrente do jogo, Michel podia ter feito o segundo golo, aos 32 minutos, mas Adriano Facchini defendeu o remate, dando alento aos colegas de equipa, que viriam a restabelecer a igualdade perto do intervalo, aos 45 minutos, beneficiando de um erro defensivo.

Hugo Vieira colocou a bola em Luís Carlos na área, Cohene parecia ter o lance controlado, mas desentendeu-se com Cássio e permitiu o desvio de Laionel, solto de marcação, que restabeleceu a igualdade.

Os sinais de reviravolta deixados pelo Gil Vicente voltaram a manifestar-se no reatamento, com um primeiro aviso de André Cunha, aos 49 minutos, antes de Cláudio ter convertido uma grande penalidade, a castigar um pretenso derrube de Cássio a Hugo Vieira, que ganhara em velocidade a Fábio faria.

O defesa emprestado pelo Benfica deitou tudo a perder três minutos depois, aos 59, por pretensa agressão a Hugo Vieira, deixando a equipa reduzida a 10 elementos.

Os pacenses souberam sofrer, reagiram bem e dispuseram de algumas situações para marcar, com destaque para o cabeceamento de Michel, aos 70 minutos, travado por uma defesa enorme de Adriano Facchini.

Até final, Hugo Vieira ainda podia ter feito o terceiro, mas Cássio desviou para o ferro o “chapéu” de Hugo Vieira.

Com este resultado, o Paços de Ferreira, na véspera do jogo na Luz com o Benfica, mantém quatro pontos, face aos oito do Gil Vicente.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.