É vergonhoso o conteúdo desta notícia. Sendo verdade, e tomo como verdadeira, porque é o próprio presidente do Carregado a falar, esse clube só tem 11 jogadores profissionais, quando o mínimo exigido são 12”, começa por explicar à Agência Lusa o dirigente do Gondomar.

Na referida notícia está escrito que o Carregado, clube que foi convidado pela Liga de Clubes a participar nas competições profissionais, tem um orçamento de 300 mil euros. Álvaro Cerqueira fez as contas e encontrou mais um motivo para a sua indignação.

Ora, se o ordenado mínimo de um jogador nos campeonatos profissionais é de 1 490 euros e se o plantel do Carregado tem 24 jogadores, como é possível eles terem um orçamento tão baixo”, questionou.

Pelo que se lê, a maior parte dos jogadores acumula o futebol com as suas profissões, têm ordenados de 300, 400 e 500 euros e está uma equipa destas num campeonato profissional”, declarou.

O presidente do Gondomar vai mais longe e admite, tendo por base a veracidade da notícia do Jornal de Notícias, que deve ter havido irregularidades no processo de candidatura e aceitação do Carregado.

Com estes dados só com documentação falsa é que este clube pode estar numa Liga profissional. Ou a Liga anda a dormir ou outros andam a passar a perna”, referiu.

E depois há a questão do estádio, que nem sequer é deles. É um clube que não tem o mínimo de condições e foi convidado pela Liga a participar neste campeonato. Foi tudo feito à pressa para prejudicar o Gondomar”, lamentou.

Com estes dados, o Gondomar poderá vir a apresentar uma queixa formal na Liga Portuguesa de Futebol Profissional.

Vou reunir ao fim da tarde com o advogado para vermos todas as formas legais disponíveis para enfrentar e denunciar esta situação. A Liga tem de fazer as coisas como deve ser”, concluiu. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.