Os clubes da II Liga vão criar uma comissão para dinamizar o segundo escalão do futebol profissional, desenvolvendo novos planos de compras de produtos e de serviços e regulamentando a participação das equipas B.

Os 14 clubes da II Liga, reunidos hoje de manhã na sede da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) com o seu presidente, Pedro Proença, nomearam uma comissão formada pelo Leixões, Gil Vicente e Varzim para acompanharem a direção da Liga em futuros processos de negociação.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da SAD do Leixões, Paulo Lopo, disse que na reunião foram "analisados todos os aspetos que possam ser fundamentais para a evolução da II Liga", embora ainda "não estejam definidos os assuntos em concreto" há já questões para avançar.

"A centralização das compras, as transmissões televisivas, a contratação de seguros, a questão das comunicações e a publicidade" serão as primeiras metas que, em colaboração com a direção da Liga, a comissão pretende "melhorar para que todos ganhem", explicou Paulo Lopo.

Congratulando-se por "hoje em dia a II Liga estar muito mais unida", destacou a "forma global como pensa o campeonato", uma evolução que atribuiu ao "bom trabalho que tem vindo a ser feito" pela direção.

E com 2017/18 a marcar o final de um ciclo da utilização das equipas B nos campeonatos profissionais, a comissão pretende negociar com as SAD a sua continuação, "mantendo a promoção dos jovens talentos portugueses ou em formação local", refere o comunicado que saiu da reunião.

"É algo que merece a pena ser debatido, desde logo pelos valores envolvidos, que são muito elevados, e estou a lembrar-me de jogadores que recentemente foram vendidos no Sporting, Benfica e FC Porto", salientou o presidente da SAD do Leixões, reclamando para os clubes competidores uma parcela desses ganhos.

Para Paulo Lopo, os clubes da II Liga que competem com equipas B dos principais emblemas nacionais "deveriam, por um mecanismo de solidariedade, ser ajudados por esses clubes pela rentabilidade que tiraram dos futebolistas que venderam com grande lucro".

"Ao mesmo tempo, entendemos que é preciso regulamentar a participação das equipas B na II Liga, uma vez que hoje nada impede que uma equipa inicie a época com jogadores de 18 e 19 anos e depois acabe a utilizar jogadores do plantel principal", alertou.

Segundo aquele responsável, "o regulamento tem de mudar para que haja uma gestão tão cuidada e não exista uma diferença tão grande" entre os dois momentos da época".

"As equipas B não podem ter na sua mão a decisão de as outras equipas ganharem ou perderem, têm de haver igualdades de circunstâncias", asseverou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.