Em causa está a Naval 1.º de Maio ter eventualmente apresentado declaração falsa aquando da inscrição na Liga, no que diz respeito ao cumprimento salarial. Uma eventual sanção poderá por em causa a presença da Naval na Liga, em benefício do Trofense, último clube despromovido na última época.

Igor, de 25 anos, chegou à Trofa no mercado de Verão, proveniente do clube da Figueira da Foz onde não chegou a realizar uma dezena de jogos, para ocupar uma posição deixada em aberto na defesa com as saídas de Valdomiro e Tiago Pinto, entre outros.

Já no Trofense, Igor decidiu colocar uma acção contra a Naval 1.º de Maio por incumprimento salarial. O defesa garante que a decisão não foi "pedida" pela direcção trofense, liderada por Rui Silva, tratando-se de "uma questão de seriedade".

"Nem sequer comuniquei ao meu actual clube que ia tomar esta posição. Foi uma decisão minha e sem qualquer tipo de pressão. Fiz o mesmo quando passei pelo Gondomar e não me pagaram salários. A Naval está a dever-me um mês de salário, por isso tomei esta decisão por uma questão de seriedade", disse, à Agência Lusa, Igor.

O jogador adiantou que tentou chegar a um acordo amigável com os dirigentes figueirenses, mas "não foi possível": "Eles diziam que pagavam e que pagavam e eu não via nada".

Questionado sobre se lhe agradaria o cenário de despromoção da equipa da Figueira da Foz, uma vez que seria o seu actual clube, o Trofense, a beneficiar com esse eventual castigo, ao ocupar a vaga deixada na Liga principal, o defesa não negou que seria "bom" para si, mas reafirmou que a decisão de colocar o processo "não teve em conta essa hipótese".

"Claro que gostava mais de jogar na Liga. Claro que agradaria a qualquer jogador estar no escalão principal do futebol. Mas não foi a pensar nisso que decidi colocar o processo à Naval. A decisão foi própria e estou a ser representado por um advogado pessoal, sem qualquer ligação a clubes", concluiu o atleta.

A Lusa tentou chegar à fala com o presidente da direcção do CD Trofense, Rui Silva, que, em férias, deu instruções ao gabinete de comunicação do clube para que todas as reacções a este caso fossem remetidas para um comunicado publicado no sítio do clube na Internet.

Recorde-se que, recentemente, o Trofense pediu à Liga de clubes uma resposta "urgente" e "séria" face à possível exclusão de um clube da Liga principal.

A Direcção trofense publicou, sábado, um comunicado, no qual garante respeitar os órgãos da Liga, bem como o clube em causa, mas, "como parte interessada", não vai deixar de "pugnar pela verdade".

Para a Direcção da equipa da Trofa, "está em causa a credibilidade das competições profissionais", bem como "uma situação tutelada pelo direito penal", como pode ler-se no documento que surgiu depois de ter sido tornado público que um ex-jogador da Naval 1.º de Maio ter-se-ia queixado de ter salários em atraso.

Agora é o nome do defesa Igor, actual reforço do plantel trofense, quem surge associado a este caso.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.