“Tinha dito realmente que não ficava mais, mas, na segunda-feira à noite, e face à situação preocupante em que o clube se encontrava, colocaram-se determinadas situações e acabei por ceder”, justificou Manuel Pacheco à agência Lusa, admitindo ter sido pressionado pelas forças vivas do concelho.

“Houve pressões e muitos pedidos do presidente da Câmara e da Junta de Freguesia, assim como de algumas pessoas de Freamunde, que me merecem o maior respeito”, sublinhou.

A continuidade de Manuel Pacheco por mais um ano deve ser oficializada no sábado, no decurso da Assembleia Geral (AG) a realizar na Casa da Cultura de Freamunde, a partir das 21:30, e em que deverão ficar estabelecidos os princípios da alteração do modelo de gestão do clube.

“O Freamunde tem funcionado nos últimos anos com uma Comissão Administrativa, mas vamos alterar a situação e arranjar uma direção para o clube”, confirmou o dirigente.

Em relação ao plantel, Manuel Pacheco não abriu o jogo, lembrando que vai dedicar toda a atenção ao assunto depois da AG, mas confirmou a substituição de Jorge Regadas por Nicolau Vaqueiro no comando técnico da equipa.

“O Nicolau Vaqueiro já treinou cá (épocas 2003/2004 e 2004/2005) e já nos conhecíamos, o que tornou tudo mais fácil”, disse Manuel Pacheco, confirmando que a ligação do técnico ao clube terá a duração de um ano.

O Freamunde, 12.º classificado na Liga de Honra em 2010/2011, tem apenas dez jogadores com contrato: os guarda-redes Tó Figueira e Tiago Macieira, os defesas Luís Pedro e Paulo Monteiro, os médios Pinto, Brandão, Tarcísio, Luiz Carlos e Júnior Maranhão e o avançado Valdinho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.