O atual presidente do Conselho Fiscal do Leixões, Mário Santos, apresentou hoje a sua candidatura à presidência do clube, propondo-se dar uma grande atenção à respetiva «situação financeira».
«Prometo fazer o melhor possível», afirmou, durante a apresentação da sua candidatura.
O programa de Mário Santos contém 11 medidas, sendo que a primeira «é dar seguimento e reforçar a negociação junto dos credores do passivo do clube», que, de acordo com o próprio, ronda «dois milhões de euros».
«A situação financeira do Leixões preocupa-me bastante», realçou o candidato, em resposta a uma questão da agência Lusa, podendo ler-se no seuj programa que aquele «é um tema estruturante e da máxima importância para o clube, exigindo uma enorme credibilidade e capacidade de diálogo junto das instâncias competentes».
Mário Santos lembrou que já foi presidente do clube (1987-1988) e frisou que volta agora a «estas andanças» porque lhe foi lançado um desafio para que o fizesse.
As eleições para os órgãos sociais do Leixões estão marcadas para o próximo dia 15 e, para já, há duas candidaturas: a de Mário Santos e a de Eduardo Anastácio, que foi eleito para a atual direção.
Eduardo Anastácio tutelava o Marketing e a Imagem do clube, mas afastou-se «há cerca de oito meses», em desacordo com o rumo que a instituição tomou, segundo disse à Lusa, e na semana passada anunciou a sua candidatura à presidência leixonense.
Mário Santos disse que estas eleições para os corpos sociais do Leixões não devem ser vistas como «as primárias das eleições autárquicas» em Matosinhos.
«Não há ligação nenhuma» ao atual presidente da Câmara local, Guilherme Pinto, que vai procurar ser reeleito para o cargo, agora como independente, afirmou Mário Santos.
Apoiantes deste candidato dizem que Guilherme Pinto está com esta lista, ao passo que Eduardo Anastácio disse ter o apoio do candidato do PS à autarquia local, António Parada.
Mário Santos candidata-se sob o lema "Projetar o futuro, respeitando o passado" e conta com uma Comissão de Honra onde estão cinco antigos presidentes do Leixões, incluindo o atual, Dias da Fonseca, ex-atletas e o técnico Henrique Calisto.
O atual treinador e o capitão da equipa sénior de futebol, Pedro Correia e Nuno Silva, respetivamente, também estão entre os apoiantes de Mário Santos.
O candidato quer um «projeto de auto sustentabilidade» para o futebol de formação, ambicionando potenciar a sua «imagem».
A aposta na formação incidirá também no voleibol, modalidade em que o Leixões tem grandes pergaminhos, tendo, porém, a sua equipa masculina sénior caído esta época para a segunda divisão nacional.
O regresso ao escalão principal da modalidade, «com uma aposta clara e inequívoca» em jogadores formados no clube, é um objetivo assumido por Mário Santos no seu programa eleitoral.
O candidato anunciou também que foi hoje constituída umam sociedade designada "Matosinhos por Leixões", a qual reúne empresários e outras pessoas que, «a partir de hoje» vão ajudar o clube, a SAD leixonense e o desporto local, mobilizando meios financeiros para o efeito.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.