O presidente do Arouca disse hoje sentir-se um homem realizado com a subida do clube à I Liga de futebol e garantiu que tudo vai fazer para «não ter uma tristeza no próximo ano».

Carlos Pinho admitiu, em conferência de imprensa no final do encontro com o União da Madeira, que «são precisos reforços» para atacar a nova aventura, mas, para já, «é tempo de descansar».

«Vamos precisar de fazer algumas adaptações para a I Liga. Tenho consciência de que precisamos de alguns reforços. Mas queria descansar um pouco e depois pensar com calma nisso. Até porque, quero construir uma equipa capaz de não me dar uma tristeza para o ano por esta altura», disse.

Relativamente à continuidade de Vítor Oliveira no comando da equipa do Arouca, Carlos Pinho não é esclarecedor:

«Nunca falamos nisso. Nós só estávamos focados no trabalho.»

O estádio vai entrar em obras para a nova temporada e a construção de duas novas bancadas «vai começar a partir de amanhã (segunda-feira) a trabalhar a toda a força».

«Esta é uma necessidade muito grande para o nosso clube. Mas, sem o apoio do presidente da Câmara, isto era capaz de não chegar aqui. Se ele não me prometesse que fazia as obras eu não avançava com loucuras», garantiu Carlos Pinho.

Já Joeano, o melhor marcador da II Liga, admitiu que já teve contacto de clubes do estrangeiro para jogar, mas que tudo dependerá do valor proposto.

«A estrada para Arouca parece uma pista de karting. Mas as pessoas são sérias. O ponto forte do Arouca é a honestidade do presidente, que paga todos os meses. Para sair, terá que ser por uma proposta muito boa», explicou o jogador do Arouca, que, frente ao União da Madeira, voltou a faturar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.