O mesmo relatório e contas, aprovado em assembleia-geral, indica que do total do passivo 388 mil euros são relativos ao leasing da sede social do clube.

"Continuamos a não cometer loucuras, mas a trabalhar para levar o Covilhã à posição que merece", sublinhou o presidente, José Mendes, que se diz orgulhoso por ter pago algumas dívidas.

Se as dívidas baixaram 20 mil euros nas contas da última temporada, a subida à Liga de Honra e as exigências da competição fizeram disparar os encargos com pessoal, que representa 59 por cento dos custos do clube.

"A Liga obriga a um patamar mínimo de vencimentos que no caso é de 1125 euros", explicou o presidente.

Na época 2007/2008, a despesa com salários situou-se nos 462 mil euros, um aumento de 197 mil euros em relação ao ano anterior.

Para António Lopes, presidente da mesa da assembleia- geral, o valor do passivo não é muito significativo, tendo em conta a estrutura do clube.

Em 2010, o Sporting da Covilhã espera sentir-se mais aliviado, quando acabar de pagar as prestações em falta às Finanças e Segurança Social.

A maioria dos proveitos do clube vem dos subsídios, num total de 266 mil euros, atribuídos pela Câmara Municipal da Covilhã.

José Mendes salienta que os "leões da serra" têm honrado os seus compromissos e faz questão de referir que o Sporting da Covilhã é dos clubes que tem sempre os salários em dia.

O presidente dos serranos aproveitou para anunciar que hoje, véspera da partida com o Sporting da Braga, vão ser pagos os salários de Outubro, que deviam ser liquidados apenas em Novembro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.