O Sporting da Covilhã, da II Liga de futebol, aprovou por unanimidade em Assembleia-Geral, na terça-feira, o Relatório e Contas relativo ao exercício da época desportiva 2017/2018, com um saldo positivo de 250.892 euros.

No documento apresentado aos poucos sócios presentes sobressaiu o aumento, em 407 mil euros, do total do ativo do clube serrano, para 2,198 milhoes de euros. O passivo também aumentou 182 mil euros, para 501 mil euros, mas o técnico oficial de contas, Sérgio Passarinha, sublinha que "o passivo perdeu peso relativamente ao património".

As receitas dos 'leões da serra' subiram 234 mil euros, para os 485 mil euros, assim como as despesas, que aumentaram 57 mil euros, para 226 mil euros, o que significa uma diminuição do peso dos gastos no total dos rendimentos.

Além de um apoio da UEFA, muito contribuiu para as contas apresentadas o resultado líquido da Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas (SDUQ), que regista um lucro a rondar os 91 mil euros, mais 65 mil euros em relação ao último exercício.

Na reunião magna foi votada uma proposta, que não constava da ordem de trabalhos, aprovada pela totalidade dos sócios presentes, que visava converter em capital um empréstimo, no valor de 350 mil euros, feito pelo clube à SDUQ, relativo às obras de renovação do Estádio Santos Pinto.

"O Sporting Clube da Covilhã emprestou à SDUQ 350 mil euros em suprimentos. Converteu-os em prestações suplementares de capital. Deixa de ser um empréstimo, passa a ser capital da SDUQ, que permite reforçar a estrutura de capital da própria SDUQ, o que vem acabar por mostrar uma solidez enorme", sublinha o presidente da Mesa da Assembleia-Geral, Luís Veiga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.