O encontro entre o sexto e o 18.º classificado da prova proporcionou uma inusitada troca de papéis entre as duas equipas, com os serranos a demonstrarem esta tarde mais competência e maturidade, sendo a diferença no marcador sublinhada com um 'bis' do cabo-verdiano Kukula (50 e 52). O melhor que os anfitriões conseguiram foi reduzir a desvantagem já perto do fim, por Ruca (90).

Com efeito, a equipa de Filipe Martins mostrou pouca inteligência ao longo do jogo e, sobretudo, faltou sempre arte e engenho para chegar à baliza do Sporting da Covilhã. Por sua vez, os serranos foram conseguindo controlar as operações sem grandes sobressaltos, numa primeira parte com poucos motivos de interesse.

A emoção ficou, pois, guardada para o segundo tempo e os serranos encarregaram-se de a servir em 'dose dupla'. Aos 50, Kukula converteu com eficácia uma grande penalidade que o árbitro João Pinho vislumbrou no meio da confusão que estava na grande área mafrense. Dois minutos depois, o cabo-verdiano foi, novamente, o mais esclarecido, ao finalizar uma jogada de insistência já dentro da área.

Foi um regresso terrível do intervalo para o Mafra, que ficou afetado pelos dois golpes num curto espaço de tempo. O desnorte podia mesmo ter dado azo a mais golos do Covilhã, mas aí surgiu o guardião Godinho a evitar danos maiores. Só perto do fim é que o Mafra despertou e acabou por reduzir para 2-1, com um cabeceamento de Ruca, após um pontapé de canto.

Com esta vitória, o Covilhã subiu ao 16.º lugar, com 16 pontos, enquanto o Mafra mantém, por enquanto, o sexto posto, com 25 pontos, numa prova liderada pelo Paços de Ferreira, com 40 pontos em 17 jornadas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.